Warren Buffett vê lucro de sua Berkshire Hathaway saltar 86% no segundo trimestre

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Warren Buffett, o maior investidor da história. Crédito da imagem: Adam Jeffery/CNBC

A Berkshire Hathaway, conglomerado de Warren Buffett, afirmou que seus ganhos no segundo trimestre aumentaram 86%. Enquanto os lucros operacionais da empresa foram encolhendo, muito por conta da pandemia do novo coronavírus, a compensação veio do mercado de ações.

A empresa reportou lucro líquido no segundo trimestre de US$ 26,3 bilhões, ou US$ 16,314 por ação Classe A.

Apesar do bom resultado, analistas do UBS esperavam US$ lucro recorde de US$ 37,7 bilhões.

Aprenda a interpretar o cenário dos investimentos com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

No mesmo período em 2019, havia sido US$ 14,1 bilhões, ou US$ 8,608 por ação Classe A.

O lucro operacional, que exclui resultados de investimento, caiu para US$ 5,5 bilhões, dos US$ 6,1 bilhões de 2019.

Os lucros aumentaram dentro das vastas operações de seguros da empresa, especialmente subscrição, enquanto ferrovias, serviços públicos e energia e outros negócios diminuíram.

Diversificando

Recentemente, a empresa abriu o cofre.

Cerca de US$ 137 bilhões foram utilizados recentemente para comprar ações – do Bank Of America a companhias de gás.

Como disse o Estado de S.Paulo, “os negócios do Berkshire são um microcosmo da economia americana”.

“É provável que as operações da Berkshire”, diz o jornal, “desde sua ferrovia BNSF até seus fabricantes de calçados e roupas, continuem sentindo a dor da pandemia. O conglomerado disse que a maioria das empresas foi prejudicada em março e abril, com o impacto variando de ‘relativamente pequeno a grave'”.

“Devido ao seu mix de negócios, eles realmente são um microcosmo para a economia em geral”, disse Cathy Seifert, analista da CFRA Research, na matéria.

Apesar da reputação de muitas vezes comprar empresas diretamente ou fazer empréstimos diretos durante tempos de turbulência nos mercados, a empresa de Buffett permaneceu em silêncio durante grande parte da pandemia.

O maior negócio da empresa ocorreu no início de julho.

Naquele mês, a Berkshire a Dominion Energy por US$ 9,7 bilhões, incluindo dívidas.

Berkshire em ano tumultuado

O relatório de lucros surge em meio a um ano tumultuado na economia e nos mercados devido ao impacto do coronavírus.

“Tumultuado” é um modo elegante de dizer.

Foi uma carnificina em muitos setores, isso se falarmos apenas de negócios.

São mais de 730 mil pessoas mortas em todo o mundo pela Covid-19.

No primeiro trimestre, as ações da Berkshire foram negociadas em uma faixa estreita antes de serem vendidas em março.

Ou seja, essas quedas do mercado afetaram o lucro no primeiro trimestre.

Entretanto, as ações se recuperaram significativamente a partir daí.

O mercado financeiro se recuperou. Isso porque o setor precifica as mortes na pandemia como precifica qualquer ativo.

O S&P 500 encerrou o segundo trimestre com alta de 20%, seu maior ganho percentual desde os últimos três meses de 1998.

Então, o ano foi tumultuado, mas não tem sido ruim até aqui.

No mercado de ações

A Berkshire foi uma vendedora ativa em algumas participações de ações significativas durante a pandemia.

A empresa de Warren Buffett vendeu todas as suas participações em companhias aéreas.

Mais recentemente, revelou que havia reduzido a maior parte de suas participações no Goldman Sachs.

Os comandados de Buffett também aumentaram a recompra no trimestre, adicionando cerca de US$ 5 bilhões de suas ações.

Foram US$ 1,74 em recompras de ações da Berkshire no trimestre.

Entretanto, a Berkshire passou anos sem recomprar suas ações.

Buffett há muito argumenta que poderia aumentar melhor o valor para os acionistas por meio de investimentos do que por recompras ou dividendos.

As ações classe A fecharam a sexta-feira com queda de 7,4% no ano. Em comparação, o S&P 500 subiu 3,7% no ano.

Warren Buffett

Quase todo mundo que se interessa por negócios, investimentos e mercado financeiro já se deparou algum dia com o nome de Warren Buffett, de 89 anos.

Todavia, Buffett não se faz presente apenas em conversas sobre investimentos ou na lista dos investidores mais lendários de todos os tempos.

Ele também faz parte do ranking dos homens mais ricos do mundo.

Por isso, suas frases e ensinamentos são passados para todos aqueles que almejam atingir o mesmo patamar que ele conseguiu atingir: o sucesso financeiro e pessoal.

Sua fama lhe rendeu o apelido de “oráculo de Omaha”.

Contudo, os números reluzentes que suas empresas apresentam falam mais do que a própria fama.