Warren Buffett perde para S&P e aposta em recompras de ações

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

A Berkshire Hathaway (BERK34), de Warren Buffett, realizou grandes compras no ano passado, mas a maior delas mostra o grande desafio que a companhia do investidor continuará a enfrentar: não há nada com melhor preços do que suas próprias ações, segundo reportagem da CNBC.

Até outubro do ano passado, a Berkshire Hathaway recomprou mais de US$ 18 bilhões, quase o dobro dos gastos com sua maior transação do período.

Em 2020, a empresa de Buffett adquiriu os ativos de gás natural da Dominion Energy, por US$ 10 bilhões, incluindo dívida – em sua maior aquisição desde 2016.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

Conforme análise da CNBC, a grande recompra mostra sinais de que Buffett acha que as ações estão subvalorizadas.

“Há poucos lugares melhores para a Berkshire alocar seu capital do que investir em si mesma com a recompras de ações”, diz Lawrence Cunningham, autor de vários livros sobre Warren Buffett e Berkshire, e professor da George Washington University.

“Preço estava certo. A divulgação foi clara. Pura racionalidade de investimento”, acrescentou.

Todos estes movimentos podem suscitar entre os investidores a percepção de que Warren Buffett talvez não seja capaz de fazer novas apostas ousadas, como as que o tornaram uma lenda do mercado e a fortuna de muitos acionistas da Berkshire.

Buffett vs S&P

Nas últimas duas décadas, Buffett se saiu razoavelmente bem contra o S&P 500 – superando o índice americano na maior parte dos anos.

Mas em 2019 e em 2020, Buffett perdeu para o S$P.

Reprodução CNBC

Em 2020, as ações da Berkshire Hathaway subiram, mas não muito (2%), contra um S&P 500 que ganhou mais de 18%, com dividendos reinvestidos, de acordo com a S&P Global.

Os anos de 2019 e 2020 marcaram uma das maiores lacunas entre a Berkshire e o amplo mercado de ações americano na história recente, com o Buffett atrás do retorno do índice por 37%.

No curto prazo, o sentimento do investidor é contra a empresa porque as forças do mercado estão trabalhando contra ele.
Contra o investidor estão as taxas de juros baixas – que o Federal Reserve sinalizou que continuarão por algum tempo – disponibilizando dinheiro mais barato para financiar aquisições de concorrentes, que agora não precisam de reservas de caixa de uma Berkshire.
Como resultado, os preços dos ativos em todo o mercado são elevados.

Ações de Buffett

“Ninguém está contestando seu histórico de várias décadas, o uso inteligente de fluxos baratos para construir um enorme valor ao longo do tempo. Ele fez isso várias vezes, mas agora o capital é barato para todos ”, diz Meyer Shields, analista da KBW, conforme a CNBC.

“Isso diminui sua vantagem. Era um elemento do molho secreto, mas talvez a melhor das más escolhas seja não comprar nada”, reforçou.

Shields disse que Buffett pode estar certo sobre não pagar a mais e ainda ser punido pelos investidores por essa decisão.

“A questão principal é a avaliação das oportunidades de aquisição e, salvo algum crash, não vejo grandes oportunidades de aquisições no futuro. Estamos presos à ideia de que eles têm muito capital, mas todo mundo também.”

Trocas na Berkshire Hathaway

Outro indício de mudanças veio na última reunião anual da empresa de investimentos, que foi virtual, em maio.

Na ocasião, Charlie Munger foi notavelmente substituído por Greg Abel, chefe da Berkshire Hathaway Energy como homólogo de Buffett.

Para este ano, Abel deverá ser novamente protagonista, conforme se elevam as especulações de que ele seja o primeiro CEO pós-Buffett, informa a CNBC.

Estratégias de Buffett

Em março, ninguém sabia quais seriam as taxas de mortalidade por causa da pandemia, ou como o governo agiria, e a história de longo prazo da Berkshire mostra que Buffett guarda dinheiro durante os períodos de risco.

“Pode ter havido alguma decepção, mas ele estava sendo consistente”, disse Shields, mesmo quando se tratava de não se apressar para recomprar ações da Berkshire.

Entretanto, os investimentos difíceis que Buffett conseguiu fazer na última crise financeira de 2008 não se repetiram durante a pandemia, pois o governo agiu rapidamente para estimular a economia e apoiar as indústrias devastadas.

“Desta vez, o apoio do governo foi rápido, implementado medidas muito mais rápido do que em 2008”, disse James Shanahan, analista da Edward Jones.

O único investimento que acabou ajudando a aumentar a confiança dos investidores foi o aumento da atividade de recompra divulgada.

warrenbuffett-1680x600

“Eles ficaram agressivos com as recompras de junho a outubro. Não há tanta competição para comprar de volta suas próprias ações ”, acrescentou Shanahan.

Os US$ 145 bilhões registrados pela última vez em dinheiro pela Berkshire precisam ser movimentados para manter as ações em alta.

“A pior coisa que pode acontecer é que eles não estejam empregando capital. Eu gostaria de ver muito mais dinheiro sendo usado. É um grande impulsionador de lucros e capitalização de mercado”, reforçou Shanahan.

“Mas há muito poucas aquisições acima de US$ 20 bilhões. A implantação de capital além da geração de caixa irá impulsionar a ação e a maneira mais fácil de conseguir isso é recompra.

A Precision Castparts, em 2016, foi um negócio de US$ 37 bilhões.

Vendas de ações

Nos últimos anos, Warren Buffett deixou claro que os ativos são tão caros que sua preferência é se concentrar na compra de mais ações de empresas. Mas isso teve a consequência não intencional de tornar mais notáveis ​​alguns de seus pequenos erros com as ações em 2020.

Ações vendidas na pandemia

Aéreas

  • American,
  • Delta,
  • United
  • Southwest

Financeiras

  • Goldman Sachs,
  • Wells Fargo,
  • JP Morgan,
  • PNC,
  • M&T Bank
  • Bank of NY Mellon

“As ações de companhias aéreas estavam bagunçadas e Buffett certamente as vendeu em um momento ruim, assim como acabou liquidando as ações de bancos, com avaliações baratas. O JP Morgan acabou se recuperando muito”, pontou Shanahan, à CNBC.

“Esses foram erros de tempo. Com as companhias aéreas, era a coisa certa a fazer, mas na hora errada para fazer. ”

Warren Buffett está investindo no Bank of America como sua ação bancária número 1 para o futuro.

Em 2011, a Berkshire comprou US$ 5 bilhões em ações preferenciais do banco e o direito a 700 milhões em ações ordinárias ao longo de uma década a um preço de cerca de US$ 7 por ação, que atualmente é negociado acima de US$ 30.

Portfólio puxado pela Apple

Com a maior parte da tomada de decisões de investimento nas mãos de gestores de fundos de hedge internos há anos, as decisões de momento podem mudar mais no futuro, dizem analistas.

O passado recente viu uma mudança significativa na carteira de ações administrada pela Berkshire.

No final de 2018, a carteira ainda estava “algemada pelas finanças”, disse Shanahan.

Desde o final de 2018, porém, a exposição do portfólio da Berkshire ao setor financeiro caiu de 49% para 28%, enquanto a tecnologia aumentou, principalmente devido à Apple. O que acabou se mostrando um grande investimento.

Contudo, a menor fatia neste setor contribuiu para que a Berkshire registrasse desempenho abaixo do S&P.

As ações de tecnologia e de consumo agora estão perto de 50% das participações de empresas. As ações que apareceram nos últimos anos incluem Amazon, T-Mobile e, no trimestre mais recente, ações de planos de saúde.

Nova filosofia de investimentos

Warren Buffett também encerrou sua participação remanescente no setor de jornais em 2020.

Embora não seja surpreendente este movimento pode indicar que a longa história de Buffett de evitar a venda de empresas que adquire possa mudar – sobretudo na próxima era de gestão da Berkshire, pós-Buffett, cujas filosofias podem mudar.

Berkshire Hathaway em Omaha, no Nebraska (EUA). Reprodução Wikipedia

“Estão ingressando em IPOs e vendendo empresas operacionais, o que não faziam no passado, e apostando em em ações internacionais, e dispostos a recomprar ações em um ritmo acelerado. Muita coisa mudou ”, avaliou Shanahan.

De acordo com a CNBC, pela primeira vez, a Berkshire também investiu em ouro – uma commodity que Buffett criticou por muito tempo.

Contudo, o investimento foi realizado por meio de ações de mineração da Barrick Gold, em vez do metal em si.

No entanto, o mercado viu o movimento como uma reversão significativa, já que os garimpeiros são alavancados pelo preço subjacente do metal.

“Parece que eles estão construindo uma pequena cerca ali”, diz Womack à CNBC. “Eu não ficaria surpreso se eles contribuíssem para essa posição.”

As grandes mudanças na carteira de ações podem trazer mais uma grande surpresa neste ano.

Recentemente, a Berkshire divulgou informações confidenciais omitidas em seu relatório, que detalha as últimas compras e vendas de ações.

No passado, isso significou que Buffett estava montando grande posição em alguma empresa, mas precisava da permissão regulatória antes de concluir suas compras e as torná-las públicas.

Por fim, tudo indica que Buffett pode estar preparando uma nova cartada.