Votação da MP do 13° para beneficiário do Bolsa Família é adiada

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Agência Câmara

A comissão mista da medida provisória que estabelece o pagamento de 13° para beneficiários do Bolsa Família (MP 898/19) adiou para esta quarta (19) a votação do relatório do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

É a quinta vez que a votação da proposta é adiada. Não há entendimento com o governo para a aprovação do texto modificado pelo relator. As informações são da Agência Câmara.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Na versão original, a MP garantiu o 13º do Bolsa-Família apenas em 2019 para compensar a alta da inflação no ano. Randolfe, no entanto, optou por tornar permanente a iniciativa e estender o 13° anual também para quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que atende idosos e pessoas de baixa renda com deficiência.

Debate mais amplo

O relator retirou alguns pontos que havia incluído em relatórios anteriores, como a previsão de reajuste anual dos benefícios do Bolsa Família. Apesar de ressaltar o mérito que teria a mudança para garantir a manutenção do poder de compra dos beneficiários e compensar a inflação, Randolfe propôs que o reajuste seja analisado por projeto de lei, em debate mais amplo para o aperfeiçoamento do programa.

O senador também alterou a fonte de financiamento destinada ao pagamento do 13°. A versão anterior do relatório indicava como fonte de recursos a tributação sobre lucros e dividendos pagos por empresas aos acionistas. Na nova versão, os recursos sairão da tributação das aplicações em fundos de investimentos fechados.

A votação foi novamente marcada para esta quarta, às 14h30, no plenário 19 da ala Alexandre Costa, no Senado.

Leia mais:

IFI avalia que desemprego deve diminuir em 2020

Reforma administrativa deve ficar pronta essa semana, diz Bolsonaro

*com Agência Senado