Futuros de NY e Ibovespa operam em alta; dia tem ata do Fomc

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pexels

Os futuros do Ibovespa operam em alta nesta manhã de quarta-feira (8) em linha com os mercados acionários americanos.

Às 9h45, o Ibovespa futuro apontava para uma alta de 0,40%, aos 76.770 pontos.

Desta forma, a indicação é de uma pregão de alta para a bolsa brasileira, mesmo com as incertezas em relação à curva de desaceleração do coronavírus e a indefinição sobre novos cortes na produção de petróleo.

EUA

Nos EUA, ainda hoje, o Federal Reserve (Fed) apresenta a ata da última reunião do comitê, quando reduziu os juros a zero. A divulgação altera pouco os ânimos, mas traz as justificativas do Fed para a flexibilização, o que é relevante.

Na terça-feira (7), o presidente dos EUA, Donald Trump, culpou a Organização Mundial de Saúde (OMS) pelos desdobramentos da pandemia de coronavírus, em sua teoria privilegiando a China. E ameaçou reter fundos da organização internacional.

De acordo com informações da NBC na manhã desta quarta-feira, o número de casos confirmados de Covid-19 nos EUA ultrapassou os 400 mil. Os óbitos somam 12,8 mil.

Otimismo x realidade

Ontem, as bolsas americanas fecharam em baixa, com investidores apostando que o mercado estava sendo otimista demais, em desacordo com a realidade de paralisação da economia.

O estrategista-chefe do Goldman Sachs, David Kostin, em entrevista à CNBC, alertou que ainda é prematuro acreditar que as ações já chegaram ao fundo do poço.

“O risco para o lado negativo é maior do que a oportunidade para o lado positivo a partir deste ponto em que estamos hoje”, afirmou.

Reabertura

Já o “guru” de mercado do JPMorgan, Marko Kolanovic, disse que espera uma reabertura “limitada” da economia norte-americana em duas semanas.

Para ele, o surto está atingindo o pico nos EUA. “Acreditamos ter visto um pico no crescimento de novos casos nos EUA há 3 a 4 dias, e as mortes atingirão o pico em cerca de uma semana. Por isso, procuramos uma reabertura limitada da economia em uma ou duas semanas”, explicou.

Nova York Futuros

  • S&P: +1,13%
  • Nasdaq: +1,22%
  • Dow Jones: +1,16%

Petróleo

É aguardada para esta quinta-feira (9) a reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) com a Rússia, para definir sobre a redução na produção. O encontro deveria ter sido realizado no início da semana, mas foi adiado.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Nesta quarta, os preços da commodity subiram durante o pregão asiático. Os futuros de referência internacional Brent tiveram alta de 1,38%, chegando a US$ 32,31 o barril. Os contratos futuros de petróleo dos EUA (WTI) também subiram 4,27%, chegando a US$ 24,64 por barril.

  • WTI, + 0,85%, a US$ 23,83
  • Brent +0,28%, a US$ 31,96

Europa

Na Europa, os mercados começaram a quarta-feira em baixa, oscilando entre a expectativa de que os números de infectados e mortos pelo coronavírus esteja realmente em queda e o receio de novos picos. Os países da região começam a desenhar estratégias para retornar do bloqueio em segurança.

  • Dax, Alemanha, -0,50%
  • FTSE, Inglaterra, -0,79%
  • CAC, França, -0,97%
  • FTSE MIB, Itália, -0,30%
  • STOXX600, -0,57%

Ásia (fechamento)

Na Ásia, apenas o Japão fechou o dia em alta. Ontem o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, declarou estado de emergência para combater infecções por coronavírus nos principais centros populacionais do país.

Cingapura aprovou um conjunto de leis que proíbe reuniões sociais de qualquer tamanho em áreas públicas e privadas.

Hong Kong estendeu sua proibição de reuniões públicas de mais de quatro pessoas, bem como o fechamento de alguns bares, até 23 de abril, segundo a Reuters.

Na China, hoje foi o primeiro dia de abertura total de Wuhan, onde a epidemia de coronavírus começou e o local mais afetado do país. O bloqueio, com fechamento de aeroportos e estradas, estava em vigor desde 23 de janeiro.

“Continuamos cautelosamente otimistas em relação à China”, disse Nicholas Yeo, diretor de ações da Aberdeen Standard Investments na China, à CNBC.

  • Nikkei, Japão: +2,13%
  • Shanghai, China: -0,19%
  • HSI, Hong Kong: -1,17%
  • ASX, Austrália: -0,86%
  • Kospi, Coreia: -0,90%