Você sabe o que influencia no mercado de ações?

Há poucos dias, recebemos na sede da Eu Quero Investir, os ilustres Srs. Henrique Bredda e Luiz Alves, gestores dos fundos da Alaska. A Alaska é uma das gestoras de ações mais conhecidas e renomadas do mercado, sendo que os seus fundos demonstram rentabilidades impressionantes no longo prazo. Nasceram e se criaram no mercado de ações, e o papo que tivemos foi exatamente sobre isso.

Denys Wiese
Denys Wiese, bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Estadual de Santa Catarina (ESAG-UDESC) iniciou suas atividades profissionais no mercado financeiro em 2009 como operador de bolsa de valores. Já atuou como operador, assessor, professor e escritor, sempre em atividades ligadas às finanças. Entre 2014 e 2017, atuou também com consultoria tributária. Hoje é sócio fundador do site EuQueroInvestir, assessor de Investimentos da XP Investimentos (pelo AAI Indice Investimentos). Atua no segmento de alta renda, no aconselhamento e assessoramento em investimentos no mercado financeiro. Contato: denys.wiese@euqueroinvestir.com

Você deve lembrar que, há algumas semanas, escrevi um artigo intitulado “É hora de comprar ações!”. Nele, elenquei alguns elementos que nos levam a crer que devemos comprar ações. Bom, as palavras dos gestores do Alaska trouxeram mais luz ao tema, e é isso que quero compartilhar com vocês hoje.

Abaixo, seguem alguns argumentos novos trazidos pela Alaska, que nos indicam que é uma boa hora para comprar ações.

Mas, antes, vamos ver o que influencia no mercado de ações.

Ações dependem do PIB, certo? ERRADO!

Analise o gráfico de correlação abaixo:

Observe como a maior média de rendimento da bolsa de, de 1900 a 2013, é da África do Sul, com taxa anualizada de 7,4% ao ano. E, ao mesmo tempo, dentre os países acima, é o que apresenta o MENOR crescimento do PIB, que ficou em 1,1% ao ano.

Já a Áustria, apresenta crescimento do PIB em 1,9% ao ano, e taxa de retorno da bolsa em 0,7% ao ano.

A tabela acima mostra que não há correlação positiva entre PIB e mercado de ações.

O mercado brasileiro depende dos EUA, certo?

ERRADO DE NOVO.

Em branco, o Ibovespa, em dólar. Em laranja, o SPX Index (ações EUA).

Veja que existem períodos de correlação positiva, e outros, de correlação negativa. Entre 1995 e 1999, por exemplo, ambos subiram, mas os EUA subiram muito mais. Entre 2003 e 2008, ambos subiram, mas o Ibovespa subiu muito mais. Entre 2010 e 2016, Ibovespa caiu muito, e SPX Index subiu muito. Ou seja, a correlação entre os dois mercados não é óbvia.

O mercado brasileiro depende, então, da política, certo? ERRADO!

Desde 15 de março de 1985, as ações (em dólar) no Brasil subiram 40 vezes. Mérito dos políticos acima?

Então, do que depende a bolsa brasileira?

Observe o gráfico abaixo, com o Ibovespa em dólar, e o índice de commodities CRB CMDT:

Em branco o Ibovespa em dólar, e em laranja o índice CRB. A correlação é quase total. Em períodos de alta do índice de commodities, ocorre o crescimento do Ibovespa, e vice-versa.

E isso é bastante lógico. As ações representam o valor presente dos fluxos de caixa futuros de uma empresa. Se a empresa lucra mais, ou tem perspectiva de lucrar mais, o preço dela sobe no presente.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

[box type=”success” align=”” class=”” width=””]As empresas brasileiras dependem muito da venda de commodities. Com preços mais altos, o lucro das empresas é maior, o que, por consequência, faz o preço das ações subirem. O contrário também é verdadeiro.[/box]

Então, a valorização das ações depende de seus lucros, que no caso brasileiro, dependem do preço das commodities.

Certo? Até aqui, ok?

Bom, e qual é a tendência para as commodities no mundo?

Para a Alaska, a tendência é de alta nos próximos anos.

Como as economias desenvolvidas e em desenvolvimento estão crescendo, a demanda será cada vez maior. Veja o gráfico que mostra a relação entre o preço das commodities e o S&P500:

Essa relação está no menor nível em décadas. Para que essa relação volte à média, o preço das commodities teria que subir 4 vezes e, para atingir novo topo, teria que subir 8 vezes.

O gigante da Ásia, vem aumentando seu consumo de commodities, ano a ano. Nada indica uma contração. Veja:

Bom, e a subida da taxa de juros nos EUA é ruim pra nossa bolsa, certo? ERRADO.

Em branco, a taxa de juros americana, em laranja, Ibovespa em dólar. Observe que em períodos de alta da taxa de juros americana a nossa bolsa tende a subir também. E em períodos de queda dos juros americanos, a nossa bolsa cai.

Inflação alta nos EUA é ruim pro Brasil, certo? ERRADO!

Em branco, a inflação nos EUA, e em laranja, o Ibovespa em dólar.

Veja que em períodos de inflação nos EUA a nossa bolsa brasileira sobe.

E agora, como está o humor no Brasil?

Bom pra comprar ou bom pra vender?

Estamos com alocação mínima em ações, dentro da indústria de fundos

Como sabemos quando comprar?

O quadro seguinte é sensacional, e nos dá boas dicas:

No Brasil, estamos quase que com todos os indicativos que a bolsa está barata. Hora de comprar!

E, segundo a Alaska, onde poderemos chegar?

Resumindo:

  1. O mercado de ações não depende do crescimento do PIB.
  2. O mercado de ações brasileiro não depende do mercado de ações nos EUA.
  3. O mercado de ações não depende dos políticos. É o contrário; os políticos dependem da economia e do mercado.

Por que ocorrem ciclos na economia?

[tie_list type=”checklist”]

  • Pessoas, empresas e governos responsáveis criam bull markets;
  • Bull markets criam pessoas, empresas e governos irresponsáveis;
  • Pessoas, empresas e governos irresponsáveis criam bear markets;
  • Bear markets criam pessoas, empresas e governos responsáveis.

[/tie_list]

  1. O preço das ações dependem de seus lucros.
  2. Os lucros das ações no Brasil dependem do preço das commodities.
  3. O preço das commodities no mundo tende a subir, segundo a Alaska.
  4. A situação nos EUA (juros pra cima, maior inflação) é boa para as ações no Brasil.
  5. Portanto, diante disso tudo, É HORA DE COMPRAR AÇÕES.

Porém, investidor, lembre-se: investimento em ações é para LONGO PRAZO e é para quem tem estômago de aguentar fortes oscilações de preços (por exemplo, 70% de queda), ok?

Agora que está por dentro do mercado de ações…

Vamos descobrir o seu perfil de investidor para saber se é a aplicação certa para você? Faça o teste aqui no site mesmo. É de graça!

[banner id=”teste-perfil”]

Quando e onde investir

O primeiro passo sempre será conhecer seus limites, sua tolerância a risco. Não entender seus próprios limites pode levá-lo a tomar as piores decisões com seus investimentos.

Por este motivo, sugerimos que todo investidor - experiente ou iniciante - conheça seu perfil. Se busca obter ganhos mais altos aceitando certa volatilidade ou se prefere maior segurança com retornos garantidos.

Entender mais profundamente o seu perfil como investidor e seus objetivos quanto a prazos de investimentos é uma tarefa um pouco mais sofisticada que um teste feito em qualquer ferramenta na internet, exige uma análise mais criteriosa e dedicada para cada pessoa.

os perfis de investidores

Para ter uma visão precisa do perfil é preciso considerar histórico como investidor, fatores pessoais e até profissionais que um teste da internet não considera.

Esta é a função do Assessor de Investimentos

Entender o investidor em uma profundidade maior que um teste de perfil na internet. É a nossa função como uma empresa especializada em educação financeira.

O primeiro passo é fazer uma conversa de 5 a 10 minutos com um membro da nossa equipe para levantar as primeiras informações e então agendar a conversa com um Assessor de Investimentos. É ele quem vai se aprofundar no seu histórico como investidor, seu momento de vida, seus planos futuros e então te indicar para produtos recomendados para seu perfil de investidor.

Confirme seus dados no formulário abaixo e nossa equipe vai entrar em contato com você para fazer a avaliação de seu perfil e avaliar o alinhamento com seus atuais investimentos.