Você ainda guarda todo o seu dinheiro na poupança no banco? Que medida você deve tomar já para não perder dinheiro

Angélica Weise
Jornalista formada pela UNISC e com Mestrado pela UFSM. Escreve sobre tecnologia, política, criptomoedas e atualidades.
1

Crédito: Blog Convenia

Você tem o hábito de guardar dinheiro? Conforme a Anbima (Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro), menos da metade (42%) da população brasileira tem dinheiro guardado.

E a situação agrava se falamos de quem investe: apenas 9% das pessoas aplicam em produtos financeiros.

Investir na Poupança por mais seguro que seja, principalmente para investidores mais conservadores, no momento atual pode não ser uma boa opção. Principalmente se você guarda todo o seu dinheiro na Poupança.

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

E por que? Nós explicamos. Mesmo que o brasileiro continue investindo na Poupança ele pode estar perdendo dinheiro. Isso porque a rentabilidade da poupança depende diretamente do valor dos juros SELIC vigente no período.

Primeiro que a desinformação colabora para que este investidor não tenha conhecimento sobre outros investimentos mais rentáveis.

Outro pensamento está atrelado de que a Poupança é o lugar mais seguro para se guardar dinheiro. Só que pode não ser tão seguro assim. O dinheiro da poupança fica depositado em um banco, caso ele quebre a garantia é de até R$ 250 mil por CPF, por banco.

Nesse sentido é que a Taxa Selic tem grande importância. É porque a rentabilidade da Poupança depende diretamente de duas taxas: a Taxa Selic, taxa básica de juros da nossa economia, e a Taxa Referencial – TR. E a taxa Selic atual é a mais baixa da história, que é de 5 % ao ano.

O Consultor financeiro Jonatha Reis indica como outra opção segura o Tesouro Direto. Nele o LCI ( Letra de Crédito Imobiliário) e CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliário) são boas opções.

“LCI são emitidos por bancos, já o CRI são emitidos por companhias securitizadas. Todas tem lastro imobiliário como garantia.  E o melhor isento de imposto de renda. Precatório também muito bom porque é dívida pública e rendimento está em torno de 15% ano”.

Como investir no Tesouro Direto?

1.Abra conta em uma corretora de valores

Para investir no Tesouro Direto é preciso abrir  uma conta na corretora de valores. A lista com as corretas está aqui.

Os Títulos do Tesouro estão divididos em 3 grandes grupos: Tesouro SelicTesouro PrefixadoTesouro IPCA.

2.Solicite acesso ao Tesouro Direto

Faça o cadastro aqui.

3.Faça a transferência de valores

Através da corretora de valores, transfira o valor de forma contínua.

Diversifique seus investimentos

Ainda conforme os especialistas da área, o indicado é variar as suas aplicações. Se você tem um perfil conservador pode deixar um valor na Poupança, e o restante diversificar como Tesouro e até mesmo aplicar na Bolsa de Valores.

Para muitos o pensamento de aplicar na Bolsa de Valores era apenas para quem tinha muito dinheiro e conhecimento na área. Mas a tecnologia favoreceu e hoje há muitos manuais, cursos online que ensinam a aplicar na Bolsa de Valores de forma segura.

E é preciso deixar de lado outro pensamento que investir em outras coisas é difícil.

Hoje com acesso a tanto material online disponível é quase uma desculpa não diversificar os seus investimentos. Inclusive para outros investimentos não é preciso nem sair de casa precisa. Basta estar conectado à internet para tomar suas decisões.