Vibra Energia (VBBR3): conheça a líder em distribuição de combustíveis e lubrificantes no país

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Foto: vibra

Consolidada como uma corporation, a BR Distribuidora mudou de nome para Vibra Energia (VBBR3) em 2021 para se reposicionar no mercado como uma empresa de energia.

A nova companhia já nasceu com 50 anos de experiência, ao mesmo tempo em que irá privilegiar a transição rumo a fontes energéticas mais limpas e renováveis, em sintonia com as melhores práticas de respeito ao meio ambiente, à sociedade e de governança corporativa.

Vamos conhecer melhor a empresa?

História da companhia

A Vibra, antes BR Distribuidora, foi criada em 1971 para operar a distribuição de produtos de petróleo e marketing como subsidiária da Petrobras, estatal fundada em 1953.

O IPO da empresa veio em 2017, com a Petrobras mantendo 71,25% das ações da BR.

Em 2019 veio a segunda oferta pública de ações da BR Petrobras, reduzindo a participação para 37,5%. A BR se tornou uma empresa privada.

Em julho de 2021 foi realizada a operação de Follow-on para a venda das ações da BR detidas pela Petrobras BR se tornar uma “true corporation”. E, no mês seguinte, a empresa passou a se chamar Vibra Energia.

Os negócios da Vibra

A Vibra mantém, por meio de um contrato de licenciamento, a bandeira Petrobras em sua rede de quase oito mil postos espalhados pelo território nacional. Também serão mantidas as lojas de conveniência BR Mania e os centros automotivos Lubrax+.

Da mesma forma, seguirá a comercialização da linha de lubrificantes top of mind Lubrax. No segmento corporativo, são cerca de 18 mil clientes, em segmentos como indústrias, transportadoras, usinas termelétricas, agricultura e aviação, sendo que este último continuará a ser atendido pela marca BR Aviation.

A estrutura logística da Vibra conta com 44 bases operadas pela BR, participações em 16 bases conjuntas (pool com sócios), 26 armazenagens conjuntas com outras distribuidoras, 8 armazenagens em portos e 4 operadores logísticos, totalizando 95 unidades operacionais.

A Vibra possui ainda 11 depósitos de lubrificantes, 4 operadores logísticos de lubrificantes e atua em mais de 100 aeroportos, todos estrategicamente distribuídos ao longo das cinco regiões brasileiras.

Com essa plataforma, a empresa é capaz de suprir eficientemente as demandas de todos os clientes em qualquer município brasileiro.

A companhia é líder no mercado de distribuição de combustíveis e lubrificantes no país em volume de vendas, com destaque para excelência e qualidade dos produtos e serviços oferecidos em todos os segmentos de negócio:

No mercado de energia, a Vibra vem atuando por meio da comercializadora Targus, da qual possui 70%. Além de atuar no mercado livre de energia, a Targus também oferece soluções de geração distribuída para clientes conectados em baixa tensão.

A empresa entende que a força das marcas “Petrobras”, “Lubrax”, “BR Mania” e “BR Aviation”, entre outras, oferece à companhia um grande valor agregado, promovendo vantagens competitivas em relação às demais companhias do setor, pois são percebidas pelos consumidores como marcas associadas à confiança, bom atendimento e produtos e serviços de qualidade.

Os segmentos operacionais da Vibra

Rede de Postos: consiste na comercialização de combustíveis derivados de petróleo, lubrificantes, gás natural veicular, biocombustível e produtos de conveniência da Vibra com a revenda;

  • B2B: consiste na comercialização de combustíveis, derivados de petróleo, lubrificantes e prestação de serviços associados em todos os segmentos de atuação no mercado de grandes consumidores da companhia;
  • Aviação: consiste na comercialização de produtos e serviços de aviação em aeroportos do país para as companhias aéreas nacionais e estrangeiras;
  • Energia: consiste na atuação no Ambiente Livre de Comercialização (ACL), por meio da comercializadora Targus. Atua também no segmento de geração distribuída e de soluções energéticas, com projetos de geração de energia no horário de ponta, eficiência energética e conservação de energia.
  • Corporativo: segmento onde estão alocados os itens que não podem ser atribuídos às demais áreas, notadamente aqueles vinculados à gestão financeira corporativa, o overhead relativo à Administração Central e outras despesas, inclusive as atuariais referentes aos planos de pensão e de saúde destinados aos aposentados e pensionistas.

Vibra na bolsa de valores

A Vibra estreou na bolsa de valores em 2017 com o nome de BR Distribuidora.

Em agosto de 2021, com o reposicionamento, foi mudado o nome e o ticker da empresa, que passou de BRDT3 para (VBBR3).

O processo ocorreu após a subsidiária integral da Petrobras até 2017, tornar-se uma corporation em junho, mês em que se retirou do capital da petroleira.

No documento enviado à CVM, a Vibra afirmou que o novo posicionamento da marca, nova assinatura corporativa e a alteração do ticker “têm como direcionadores de sua nova marca: orientação ao cliente; confiança que conecta; parcerias genuínas; e evolução constante.”

A empresa faz parte do Ibovespa e também dos índices Ibra, IBRX, IBRX50, IGC, IGCT e ISEB3.

Pontos fortes da Vibra

  • Liderança no Setor de Distribuição de Combustíveis e de Lubrificantes no Brasil
  • Marcas Altamente Reconhecidas
  • Ampla e Flexível Infraestrutura Logística e Capilaridade
  • Ampla Rede de Postos de Serviços Estrategicamente Posicionada como Plataforma para Novos Negócios
  • Governança Corporativa Diferenciada

Composição acionária da Vibra

A maior parte das ações da Vibra está com outros investidores (77,83%).

Outros 9,79% estão com a Samambaia Master Fundo de Investimento em Ações Investimento no Exterior.

A BlackRock é dona ainda de 5,01% do total de ações da Vibra.

A companhia tem 1.131.883.365 de ações em circulação no mercado. São 60.890 investidores pessoa física, 310 pessoas jurídicas e 845 investidores institucionais.

Desempenho na bolsa de valores

No acumulado de 2021, até 19 de novembro, as ações da Vibra  registraram alta de +0,82%. Assim, o papel passou de R$ 21,99 para R$ 22,17.

Por outro lado, na máxima histórica, desde 2017, a alta é ainda maior, de +38,82%.

Quando estreou na bolsa, a empresa estava cotada a R$ 15,97.