Via Varejo (VVAR3) reverte prejuízo e lucra R$ 336 milhões no 4TRI20

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Via Varejo (VVAR3): Planner começa cobertura com compra; preço-alvo é de R$ 21,2

A Via Varejo (VVAR3) reportou lucro líquido de R$ 336 milhões no quarto trimestre de 2020 ante um prejuízo de R$ 875 milhões no 4TRI19. Os indicadores da dona das Casas Bahia e Ponto Frio foram impulsionados pela reabertura de lojas físicas e pelas fortes vendas no digital.

No consolidado do ano, a empresa registrou lucro de R$ 1,0 bilhão em 2000, versus prejuízo de R$ 1,4 bilhão em 2019.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Já o lucro líquido operacional foi de R$ 209 milhões no 4T20 e de R$ 167 milhões em 2020.

O Ebitda ajustado da Via Varejo passou de um prejuízo de R$ 35 milhões no 4TRI19 para um valor positivo, de R$ 545 milhões no 4TRI20. Já a margem Ebitda ajustada cresceu significativamente: saiu de 0,5% no 4TRI19 para 5,8% no 4TRI20.

No comparativo entre anos, o Ebitda cresceu 171%. Saiu de R$ 1,07 bilhão em 2019 para R$ 2,91 bilhões em 2020. A margem Ebitda ajustada cresceu 5,9 p.p. para 10,1% em 2020.

Desta forma, o Ebitda ajustado multiplicou por 2,7x em 2020 vs 2019.

Receita cresce 24% no 4TRI20

A receita líquida de Via Varejo cresceu 24,4% do 4TRI19 para o 4TRI20.

Assim, o indicador passou de R$ 7,61 bilhões para R$ 9,47 bilhões no último trimestre de 2020.

No consolidado dos anos, o crescimento da receita líquida foi de 12,7%. Foram R$ 28,90 bilhões em 2020 contra R$ 25,65 bilhões em 2019.

Vendas são impulsionadas pelo digital

Segundo a Via Varejo, o desempenho no digital foi bem superior ao do mercado, resultando em importantes ganhos de market share.

As vendas realizadas através do canal digital, impulsionadas em meio à pandemia, representaram quase 50% do GMV total.

O GMV bruto foi de R$ 12,7bilhões no 4T20 (+31% a/a) e de R$ 38,8 bilhões (+21% a/a) em 2020.

Também houve um crescimento robusto no e-commerce 1P de 112% a/a no 4T20 e de 174% a/a em 2020.

O GMV do e-commerce foi de R$ 4,7 bilhões no trimestre, atingindo crescimento expressivo de 106%.

A forte aceleração do marketplace (3P) teve evolução de 84% a/a no 4T20 e 90% a/a em 2020.

Segundo a empresa, a transformação digital permitiu, em pouco tempo, uma grande virada no crescimento e na rentabilidade. Entre os projetos que permitiram isso em 2020 estão o carnê digital, o vendedor online, a evolução dos aplicativos, entre outros.

 

Via Varejo tem R$ 9 bilhões em caixa

A empresa encerrou o ano de 2020 com sólida posição de caixa.

O caixa incluindo recebíveis não descontados e ajustado pelas antecipações aos fornecedores totalizou R$ 9,3 bilhões (ou caixa líquido e antecipações de R$ 4,8 bilhões) em dezembro 2020.

No 4T20, as despesas com vendas, gerais e administrativas tiveram aumento de 3,9%.

Já as despesas com vendas, gerais e administrativas operacionais apresentaram um incremento de 21,7%. O valor é reflexo principalmente em decorrência da decisão de internalização de time de Tecnologia, com a aquisição da I9XP.