Via Varejo (VVAR3) fará oferta de até R$ 4 bilhões; ações sobem 1,04%

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

O Conselho de Administração da Via Varejo (VVAR3) aprovou nesta quarta-feira (3) a realização de oferta pública primária de ações ordinárias, que pode atingir até R$ 4 bilhões.

Serão ofertadas inicialmente 220 milhões de ações.

Caso haja necessidade, a oferta poderá ser acrescida em até 77 milhões de ações, o correspondente a 35% do inicialmente ofertado.

Dessa forma, com base no fechamento da cotação de 3 de junho, a oferta poderá movimentar, ao menos, R$ 2,965 bilhões.

As ações da Via Varejo subiam 1,04% perto das 11h20, cotada a R$ 12,84.

De acordo com a Via Varejo, os recursos captados serão destinados para investimentos em tecnologia e logística, inovação e desenvolvimento, além da otimização da estrutura de capital, incluindo reforço de capital de giro.

O coordenador líder da oferta é o Bradesco BBI. Os demais coordenadores são o BTG Pactual, BB Investimentos, Bank of America Merrill Lynch, Santander, Safra e XP.

No dia 15 de junho será divulgado o preço de emissão das ações.

Já o início das negociações em bolsa é no dia 17 de junho de 2020.

Balanço Via Varejo

A Via Varejo (VVAR3) divulgou seus resultados do primeiro trimestre no dia 14 de maio, reportando lucro de R$ 13 milhões, revertendo prejuízo de R$ 50 milhões de um ano antes.

De acordo com a empresa, o lucro líquido estimado para este primeiro trimestre seria de R$ 100 milhões, não fosse o impacto da crise do novo coronavírus.

Assim, a quarentena na maioria das capitais fechou lojas e diminuiu o volume de vendas nas lojas físicas, mas aumentou as do e-commerce.

Vendas

De janeiro a março, as vendas em lojas físicas registraram recuo de 7,1% e somaram R$ 5,722 bilhões.

Mas as vendas online avançaram 48,6%, chegando a R$ 1,704 bilhão.

Ainda segundo a empresa, as vendas no conceito mesmas lojas recuaram 8,0%.

Entretanto, antes dos efeitos do Covid-19, avançavam 4,2%, “refletindo a evolução gradual desde a chegada do novo time na liderança.”