Via Varejo (VVAR3): resultados do 3TRI20 são positivos, diz Eleven

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Via Varejo - Small Caps

Os resultados do terceiro trimestre da Via Varejo (VVAR3) foram consistentes e a transformação feita na empresa nos últimos 12 meses mostra a agilidade com que os ajustes na estratégia foram realizados, analisa a Eleven Research.

Em relatório divulgado nesta quinta-feira (12), a casa de análises diz que os ajustes feitos pela Via Varejo estão refletindo a qualidade dos resultados reportados pela empresa.

“A Via Varejo de hoje é muito mais dinâmica e competitiva que a do ano passado”, afirmam os analistas.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

 

Via Varejo se digitalizou rapidamente

Segundo a Eleven, a Via Varejo soube se adaptar às novas maneiras de vender, mesmo diante de um cenário de pandemia.

Assim, a empresa se digitalizou rapidamente, o que foi fundamental para os resultados alcançados no ano.

“A decisão de priorizar investimentos no front digital mostrou-se acertada com resultados expressivos: +294% de crescimento no GMV 1P, +83% de evolução no GMV 3P, +43% no GMV total para um recorde de R$10,0 bilhões, penetração de 45% do e-commerce nas vendas totais nos 9M20 e +8,8pp de ganho de market share no e-commerce”, ressaltam os analistas.

A receita líquida aumentou 37% a/a para R$ 7.8 bilhões, em linha com as estimativas da Eleven.

 

Indicadores melhores

Assim como outros resultados de empresas de varejo no 3T20, o auxílio emergencial parece ter contribuído para fomentar as vendas da Via Varejo, diz a Eleven.

A participação de parcela à vista aumentou para 25% do mix de pagamentos no 3T20 vs 22% no 2T20 e 20% no 3T19.

Já a margem bruta ajustada para efeitos não-recorrentes foi de 29,6%, 1,8pp menor a/a e 0,3pp abaixo do esperado em função do efeito mix (maior participação do e-commerce nas vendas totais) e aumento dos pagamentos à vista, ou seja redução dos parcelamentos nas compras.

Após atingir um pico de inadimplência em junho de 13,5%, o indicador de atraso (over 90 dias) mostrou boa recuperação para o patamar de 7,8%. Ou seja, em linha com igual período do ano anterior.

Segundo a Eleven, a Via Varejo mostrou bom controle de despesas no trimestre.

O conjunto de despesas SG&A saiu de 27% da receita líquida em 3T19 para 22% no 3T20. O Ebitda ajustado para efeitos não-recorrentes, incluindo principalmente um crédito de ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins de R$505 milhões, foi 106% maior a/a para cerca de R$600 milhões, 5% acima das estimativas da Eleven.

Já a margem Ebitda ajustada foi de 8%, 0,5pp melhor que estimada.

Por fim, a empresa reverteu o prejuízo do 3T19 em um lucro líquido ajustado de R$ 100 milhões.

 

Recomendação de compra de Via Varejo

O desempenho das lojas reabertas já retornou a patamar superior ao nível pré-pandemia.

Novas ferramentas serão testadas pela Via Varejo na Black Friday em 2020 incluindo novo sistema de vendas em formato de app pelos gerentes nas lojas físicas, simplificação do processo de validação para retirada de produtos nas lojas e evolução do processo de aprovação e entrada de novos sellers na plataforma de marketplace com maior oferta de serviços de fullfilment aos parceiros de 3P.

Assim, Eleven recomenda a compra da Via Varejo até o preço alvo de R$ 28.

“A companhia entra no 4T20 mais fortalecida e bem posicionada com R$ 7 bilhões em estoques”, diz a empresa.

 

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.