Via Varejo (VVAR3) conclui aquisição de startup; IRB (IRBR3) emite debêntures

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Via Varejo (VVAR11) lucra, sem efeitos de fraude, R$ 78 mi no quarto trimestre

A Via Varejo (VVAR3) anunciou nesta segunda-feira (30) a conclusão da aquisição da 19XP Tecnologia e Participações S.A.

A aquisição, segundo a Via Varejo, foi consumada por sua subsidiária,  VVLog Logística Ltda., e não está sujeita ao disposto no Artigo 256 da Lei das S.A.

A compra da 19XP havia sido anunciada em 29 de outubro pela Via Varejo. A startup é uma companhia especializada em desenvolvimento de soluções para e-commerce.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

A aquisição faz parte da estratégia da Via Varejo de acelerar a transformação digital da companhia. Assim, a expectativa é evoluir projetos especiais como marketplace e logística.

IRB (IRBR3) emite R$ 300 milhões em debêntures

A IRB (IRBR3) realizou a segunda emissão de debêntures. São debêntures simples, não conversíveis em ações de emissão do emissor para distribuição primária. O valor da emissão é de R$ 300 milhões.

As debêntures só poderão ser negociadas entre investidores qualificados após 90 dias contados da subscrição ou aquisição pelo investidor profissional.

Segundo a IRB, os recursos serão usados para contribuir com o reenquadramento aos critérios definidos pela Susep e pelo Conselho Monetário Nacional para a cobertura de provisões técnicas e da margem adicional de liquidez regulatória e para fortalecer a estrutura de capital da empresa.

Serão emitidas pelo IRB até 300.000 debêntures no valor nominal unitário de R$ 1.000.

As debêntures da primeira série terão vencimento em 15 de dezembro de 2023. Já as da segunda série terão vencimento em 15 de dezembro de 2026.

CVC (CVCB3) aumenta capital em R$ 305 mi com emissão de ações

A CVC (CVCB3) informou nesta segunda-feira (30) que foi homologado um valor de R$ 301,7 milhões por meio da emissão de 23.500.000 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal (ações).

O preço será de R$ 12,84/ação. Há ainda a consequente atribuição como vantagem adicional aos subscritores das novas ações de 23.500.000 bônus de subscrição, na proporção de 1 (um) bônus de subscrição para cada 1 (uma) ação subscrita aos acionistas titulares de bônus de subscrição e ao mercado em geral.

Cada bônus de subscrição confere ao seu titular o direito de subscrever 1,33 ação ordinária da CVC.

Cada bônus será exercível uma vez no período entre 1º de dezembro de 2020 e 29 de janeiro de 2021. Após o término desse prazo, os bônus que não forem exercidos serão extintos de pleno direito.

A partir de 1º de dezembro os bônus de subscrição poderão ser exercidos observados os procedimentos do Banco Bradesco S.A. e da Central Depositária de Ativos da B3 até 29 de janeiro de 2021.