Veja fatores que contribuem para alta do dólar

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A pandemia do novo coronavírus tirou milhões de empregos, paralisou companhias, gerou déficit fiscal, mas o dólar continua sendo a moeda mais importante do planeta.

Isso acontece porque de forma permanente, há pessoas que querem comprar muitos dólares. “Enquanto isso ocorrer, será possível ativar a máquina de impressão de notas sem enfraquecer a moeda”, disse Kit Juckes, chefe mundial de estratégia cambial do banco Société Générale.

Ou seja, os americanos podem emitir dólar sem gerar inflação, o que não ocorre como nenhum outro país ou moeda no mundo.

Avanço do dólar

No acumulado ano, a divisa americana já valorizou mais de 40% em relação ao real, considerando a cotação desta sexta-feira, quando estava cotado a R$ 5,6929.

Para Paulo Filipe, assessor de investimentos da EQI, o dólar subiu por dois motivos principais. Primeiro, porque em momentos de crises o investidor sempre procura um porto seguro e o maior hoje é a economia americana. “Então você tem dinheiro migrando para lá, mais procura por dólar, consequentemente a divisa sobe”.

Outro ponto levantado por Filipe é que agora a diferença entre taxa de juros no Brasil e nos EUA está muito baixa, o que impactou diretamente no carry trade.

“O carry trade consiste numa operação na qual investidores pegavam dinheiro emprestado nos EUA, a juro barato e investiam no Brasil. Mas hoje em dia a diferença é muito pequena, não compensando o risco da transação. Isso faz com que dólar seja retirado da economia brasileira” explicou Paulo.

Comprar ou vender?

Em relação ao rumo da moeda americana, o assessor afirmou que “dependerá muito da estabilização dessa crise e a mostra de que a economia brasileira voltará a crescer”.

Prever o comportamento do dólar no futuro é impossível. Mas o investidor pode fazer igual ao assessor e utilizar o boletim Focus para obter um panorama geral da moeda americana.

Segundo Paulo Filipe, no boletim, a estimativa é que o dólar encerrará o ano em R$ 4,80. Então, se o investidor usar essa projeção do Focus, a moeda está relativamente cara.

O assessor reforça que o ideal é usar o dólar para proteção de carteira. Sendo assim, depende muito de como está a exposição da carteira do investidor.

assessor de investimentos

Segundo Filipe, para ajudar o investidor em relação ao dólar, o assessor pode mostrar os caminhos para investir na moeda americana, seja com o objetivo de se proteger ou porque acha que a moeda americana vai subir.

LEIA MAIS

Dólar continua a moeda mais importante do mundo

Ibovespa reduz perdas após anúncio da saída de ministro; dólar a R$ 5,69