Cielo (CIEL3): Varejo tem perda de 29,3% desde o início da pandemia

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Sem impacto do Covid-19, varejo cresce em fevereiro

O varejo no Brasil caiu 29,3% desde o começo da pandemia do novo coronavírus, de acordo com pesquisa da Cielo (CIEL3) divulgada na quinta-feira (30).

Na semana do dia 26 de abril até 29 de abril, o varejo recuou 37,7%.

Os dados foram coletados entre o dia 1º de março e 29 de abril de 2020.

O faturamento de Bens não duráveis caiu 1,4% desde o começo da pandemia.

Enquanto na base semanal, o recuo ultrapassou os 10%.

O faturamento de bens duráveis registrou queda de 44,6% no período de 1º de março de 2020 até 29 de abril de 2020.

Na base semanal, a redução do faturamento foi ainda mais brusca (48%).

 

No setor de serviços, a retração do faturamento atingiu o patamar de 58,4% no acumulado desde 1º de março de 2020 até 29 de abril.

Na semana, a queda do faturamento do segmento de serviços foi de 71,5%.

A redução do faturamento nas drogarias e farmácias foi mais brando. Desde o início da pandemia o faturamento caiu 1,9%.

Entre os dias 26 de abril e 29 de abril o faturamento despencou 13,9%.

 

Ao contrário dos demais setores, supermercados e hipermercados registraram aumento de 16,9% no faturamento durante a pandemia de coronavírus.

Na base semanal, o faturamento subiu 12%.

Os postos de combustíveis viram o faturamento recuar 31,7% entre os dias 1º de março e 29 de abril de 2020.

Na semana, a redução do faturamento acelerou e atingiu queda de 43,7%.

Os demais setores em bens não duráveis observaram redução de 25,8% no faturamento desde o começo da pandemia de coronavírus.

Entre os dias 26 e 29 de abril de 2020, o faturamento despencou 33,8%.

O faturamento do setor de vestuário recuou 64,2% entre os dias 1º de março e 29 de abril de 2020.

Na base semanal, a queda do faturamento foi ainda maior, cerca de 79,5%.

No acumulado do período, o setor de móveis, eletro e lojas de departamentos registrou baixa de 39,7% do faturamento.

Na semana, o faturamento caiu 44,3%.

Outros setores em bens duráveis registraram perdas de 41,5% desde o começo da pandemia de coronavírus.

Na base semanal, o faturamento recuou 42,1%.

O setor de materiais de construção viu o faturamento cair 14,7% desde o início da pandemia de coronavírus. Já na última semana de abril, o faturamento voltou a subir (2,2%).

O setor de turismo e transporte faturou 72,9% entre os dias 1º de março e 29 de abril de 2020.

Na base semanal, o faturamento caiu 90,3%.

No acumulado, bares e restaurantes registraram perdas de 54,6%.

Na última semana de abril, o faturamento do setor de bares e restaurantes caíram 71,8%.

O segmento de serviços automotivos e autopeças tiveram perdas de 26,7% desde o começo da pandemia.

Na semana, o faturamento recuou 20,7%.

Os outros serviços apresentaram perdas de 47,1% no período acumulado.

Na base semanal, o faturamento caiu 48,3%.