Vale (VALE3) terá 1º navio com velas rotativas para transportar minério de ferro

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Divulgação

A Vale (VALE3) informa que o primeiro navio, o Guaibamax, equipado com o sistema de velas rotativas (rotor sails) a serviço da companhia iniciará viagem nos próximos dias.

Segundo a Vale, a embarcação, que possui capacidade de transporte de 325 mil toneladas de minério de ferro e pelotas, contará com cinco velas rotativas instaladas ao longo da embarcação que permitirão um ganho de eficiência de até 8% e uma consequente redução de emissão de até 3,4 mil toneladas de CO2 equivalente por navio por ano.

Vale (VALE3): mineradora deve ter um ano bastante positivo pela frente

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

Caso o projeto comprove-se eficiente, estima-se que pelo menos 40% da frota a serviço da Vale esteja apta a utilizar a tecnologia.

“O início da operação de navios equipados com velas rotativas faz parte do portfólio de iniciativas da Vale na área de navegação, que inclui ainda a tecnologia Air Lubrication e a adoção de navios multi-combustível”, informa comunicado da companhia.

“Essas ações contribuem para atingir o compromisso de redução de 15% das emissões líquidas de escopo 3 até 2035”, acrescenta o texto.

BDRs. Alternativas para investir no exterior diretamente da bolsa brasileira

Vale (VALE3): entenda o que são as debêntures perpétuas

“Adicionalmente, a Vale busca reduzir suas emissões absolutas de Escopos 1 e 2 em 33% até 2030 e atingir a neutralidade até 2050, em linha com o Acordo de Paris, liderando o processo de evolução para mineração de baixo carbono.”

Vale: tecnologia de velas rotativas

As velas rotativas são rotores cilíndricos, com quatro metros de diâmetro e 24 metros de altura.

Em contato com a vela em rotação, o ar passa a se mover em diferentes velocidades ao longo de sua superfície, resultando em uma variação de pressão. Essa alteração impulsiona a embarcação à frente, em efeito semelhante ao das bolas de futebol, tênis e golfe, que realizam curvas durante o voo, em um fenômeno conhecido como “efeito Magnus”.