Vale (VALE3) reverte prejuízo e tem lucro de US$ 239 milhões no 1TRI20

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Vale

A Vale (VALE3) apresentou nesta terça-feira (28) os resultados do primeiro trimestre de 2020.

A mineradora registrou um lucro líquido de US$ 239 milhões mo primeiro trimestre de 2020, revertendo o prejuízo de US$ 1,642 bilhões no mesmo período de 2019.

Ativos

De acordo com a Vale, a melhora do resultado se deu, principalmente, ao reconhecimento de despesas one-off no 4T19, tais como os impairments em ativos de níquel e carvão (US$ 4,202 bilhões) e provisões relacionadas a Brumadinho (US$ 898 milhões).

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação ( Ebtida, na sigla em inglês) ajustado somou US$ 2,882 bilhões. Já a margem Ebtida ajustado atingiu 41%, ante a margem negativa em igual período do ano anterior.

Volumes de vendas

A Vale atribui o resultado principalmente a volumes sazonalmente menores no primeiro trimestre, além da parada parcial da planta de Brucutu, e a manutenções, programadas e não programadas, realizadas no período, impactando os volumes de vendas em Minerais Ferrosos.

“Além dos menores preços realizados de níquel e cobre, a menores volumes de vendas de metais básicos, que foram parcialmente compensados pelo efeito positivo da desvalorização do real”, acrescentou a mineradora.

O resultado financeiro foi negativo em US$ 2,285 bilhões, uma elevação sobre as perdas de US$ 706 bilhões no mesmo período de 2019.

A mineradora explicou que o resultado financeiro foi fortemente impactado pela desvalorização do Real frente ao Dólar, principalmente através do decréscimo no valor dos derivativos utilizados como hedge dos compromissos denominados em Reais e o aumento no valor da posição líquida passiva em dólares da Vale.

Operacional

A receita líquida alcançou a cifra de US$ 6,969 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa uma queda de 15% sobre o resultado do mesmo período do ano anterior.

A mineradora explicou que diminuição da receita foi impactado por menores volumes de vendas.

O lucro bruto somou US$ 2,691, uma retração de 23,2%. Enquanto a margem bruta atingiu 38,6%, queda de 4,1 p.p.

Os custos e despesas totalizaram US$ 4,818 bilhões, redução de 7%.

Investimentos

Os investimentos da Vale no trimestre somaram US$ 1,124 bilhões, quase o dobro do investido no primeiro trimestre de 2019.

A maior parte dos aportes foram destinados a manutenção de operações ( US$ 979 milhões) e o restante para execução de projetos (US$ 145 milhões).

Devido à pandemia do coronavírus, a empresa decidiu suspender ou postergar trabalhos em projetos não essenciais.

Dívida líquida

A dívida líquida da Vale encerrou o primeiro trimestre em US$ 4,808 bilhões.

A alavancagem financeira medida pela relação dívida líquida/ Ebtida ajustado ficou em 0,3 vez no final de março, baixa de 0,7 p.p.

Coronavírus

A Vale informou que a pandemia teve impacto limitado em suas operações. Mas a implementação de três medidas restritivas foram necessárias.

A companhia suspendeu temporariamente as operações no terminal marítimo Teluk Rubiah, na Malásia, sem impacto em produção. Adiou os planos para a manutenção
corretiva na planta de processamento de carvão em Moçambique.

A Vale realizou o ramp-down e colocou as operações de mineração em Voisey’s Bay em manutenção por até 4 meses.

Guidances

A companhia reduziu suas projeções para volume de produção em 2020. A estimativa de finos de minério de ferro caiu de 340-355 Mt para 310-330, pelotas baixou de 44 Mt para 35-40 Mt; níquel diminui de 200-210 kt para 180-195 kt; e cobre de 400 kt para 360-380.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

A Vale ainda espera a redução dos custos de frete unitário no segundo trimestre de 2020 de pelo menos US$ 3/t comparado ao primeiro trimestre, custo caixa unitário C1 do negócio do Minério de Ferro abaixo de US$ 14/t no segundo semestre e investimentos (capex) de US$ 4,6 bilhões em 2020.

ta-e-ai

De acordo com análise da XP Investimentos, os resultados da Vale vieram em linha com as projeções e o impacto deve ser neutro no preço das ações. A XP mantém a recomendação de compra dos papéis, com preço-alvo de R$ 61.

O relatório aponta que, embora o conselho da companhia, tenha interrompido o pagamento de dividendos desde a tragédia de Brumadinho, uma potencial distribuição de caixa em 2020 ainda deve estar no radar de investidores.

“Vemos as ações da Vale sendo negociadas a 3,2x EV/EBITDA 2020, contra uma marca de 5,0x de seus pares globais”, diz o texto. A Vale deve negociar com um prêmio em razão das mudanças estruturais no setor siderúrgico na China, com taxas de utilização mais altas, que favorecem os prêmios de qualidade e, portanto, os produtos da Vale. E ainda há a tendência de queda para os custos no longo prazo com a retomada das operações, segundo a XP.

LEIA MAIS

Monitor CVM: Vale (VALE3) estende manutenção de mina no Canadá

A importância de diversificar investimentos e a crise