Vale (VALE3): Justiça suspende a exigência de garantias R$ 7,9 bilhões

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Vale (VALE3): mineradora adota protocolo de emergência em Catas Altas

A Vale (VALE3) anunciou nesta sexta-feira (17) que foi suspensa a exigência da companhia prestar garantias de R$ 7,9 bilhões.

A decisão foi proferida pelo Desembargador Leite Praça, do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais.

Na quarta-feira (15), o Desembargador havia negado o pedido de efeito suspensivo realizado pela Vale.

A exigência, determinada em maio, visava assegurar eventual aplicação de sanção de multa ou perdimento de bens, direitos e valores em ação que apura eventual obstrução de fiscalização, por meio de seus funcionários, ao complexo da Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho. A ação foi aberta pelo Ministério Público de Minas Gerais.

A Vale tinha até o dia 23 de julho para apresentar a garantia.

Em junho, o desembargador Peixoto Henriques, do TJMG, relator provisório do recurso, tinha determinando a suspensão da exigência. Ele considerou que não havia elementos que evidenciassem riscos futuros de descumprimento de uma posterior decisão sobre o caso, por parte da Vale.