Vale (VALE3) fecha com a Mitsui e adquire mina e corredor logístico na África

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação

A Vale (VALE3) assinou, nesta segunda (19), contrato definitivo com a japonesa Mitsui para a aquisição da totalidade das participações na mina de carvão de Moatize e no Corredor Logístico de Nacala (CLN), que liga Moçambique ao mar, passando pela República do Malauí, no sudoeste da África.

A conclusão da saída da Mitsui é esperada ainda em 2021, sujeita, segundo a Vale, “às condições precedentes usuais neste tipo de transação, conforme informado no comunicado ao mercado de assinatura do Heads of Agreemente m 20 de janeiro de 2021.”

Vale (VALE3) informa alta de 14,2% na produção de minério no 1TRI

Conforme informou a Vale em comunicado, a assinatura do contrato definitivo com a Mitsui, como etapa inicial para o desinvestimento do negócio de carvão, “está em linha com a estratégia de disciplina na alocação de capital e a simplificação do portfólio da Vale.”

A operação reforça — complementa a companhia — tanto a meta de a Vale de se tornar líder na mineração de baixo carbono, como o seu compromisso com o Acordo de Paris.

Vale: termos do acordo

Em janeiro último, a Vale (VALE3) havia informado que assinara acordo com a Mitsui, parceira na operação, permitindo que as empresas estruturassem a saída da companhia japonesa da mina de carvão de Moatize e do Corredor Logístico de Nacala,

O acordo estabelece os principais termos para a aquisição pela Vale da totalidade das participações da Mitsui — 15% na mina de Moatize, juntamente com 50% de participação e todos os outros créditos minoritários que a Mitsui detém na CLN.

Segundo a Vale, o objetivo é que a saída da Mitsui “possa ser concluída durante 2021, o que está sujeito à execução do contrato definitivo e a condições precedentes usuais neste tipo de transação”.

“O acordo prevê que a Vale comprará, por US$ 1,00, a participação em cada um dos ativos de mina e logística de titularidade da Mitsui”, explica a Vale.

“Após o fechamento da transação, a Vale consolidará as entidades da CLN e, portanto, todos os seus ativos e passivos, incluindo o Project Finance do Corredor de Nacala, que tem cerca de US$ 2,5 bilhões de saldo remanescente.”

A consolidação do Project Finance, prossegue a Vale, implicará aproximadamente US$ 300 milhões por ano em despesas operacionais na mina de Moatize, associadas à tarifa do CLN.

A operação impacta o EBITDA do Negócio de Carvão, com reclassificação como despesas financeiras, amortização de dívidas, investimento de manutenção das operações.

“O futuro refinanciamento do Project Finance e simplificação da estrutura levará a uma economia anual estimada de aproximadamente US$ 25 milhões”, diz a Vale.

Vale: processo de desinvestimento

Ao longo dos últimos 15 anos, a Vale tem atuado em parceria com os governos de Moçambique e Malauí, na implantação da mina de Moatize e dos 912 km do CLN, para transporte de carvão, além da revitalização das operações de carga geral e de transporte de passageiros.

“Os investimentos representam um legado relevante para esses países e são um importante vetor de desenvolvimento local”, lembrou a Vale, nota ao mercado.

brMalls (BRML3): retomada da operação de 11 shoppings

A brMalls (BRML3) comunicou a retomada da operação de 11 shoppings do seu portfólio. São unidades que estavam fechadas por causa das medidas de restrições anunciadas pelas autoridades durante a pandemia. Os shoppings terão restrições no horário de funcionamento.

O Independência Shopping (MG) voltou a abrir em 17 de abril de 2021. O Campinas Shopping (SP), Mooca Plaza Shopping (SP), São Bernardo Plaza Shopping (SP), Shopping ABC (SP), Shopping Jardim Sul (SP), Shopping Metrô Santa Cruz (SP), Shopping Piracicaba (SP), Shopping Tamboré (SP) e Shopping Villa Lobos(SP) retornaram suas atividades no dia 18de abril de 2021.

O Shopping Plaza Niterói( RJ) retomou operações em 19 de abril.

Com isso, a companhia possui, nesta segunda (19), 29 shoppings abertos, equivalentes a 94,4% da ABL (Área Bruta Locável) total e 94,0% da ABL própria da companhia, além de 94,0% do NOI core (Net Operating Income na sigla em inglês) em 2019.

Dessa forma, os shoppings abertos do portfólio são os seguintes:

GP Investments (GPIV33) tem alteração acionária

A GP Investments (GPIV33) informa que a posição no capital social da companhia da Oceana Investimentos foi reduzida para 7.043.618 BDRs (Brazilian Depositary Receipts).

Esse montante representa 9,35% das ações classe A de emissão da GP Investments.

Bahema (BAHI3): renúncia de membro do CA

A Bahema (BAHI3) comunicou que Guilherme Affonso Ferreira apresentou pedido de renúncia ao cargo de membro efetivo do Conselho de Administração da companhia. A decisão vale a partir de 30 de abril de 2021.

O conselheiro esclareceu que “o pedido de renúncia é realizado por motivos de natureza pessoal, tendo em vista desafios profissionais que irão requerer maior dedicação do meu tempo.”

Ele acrescenta: “Reforço minha total confiança no projeto da Bahema Educação, do qual pretendo continuar como acionista, inclusive tendo exercido meu direito de subscrição nas últimas emissões primárias de ações e debêntures conversíveis em 2019 e 2020 respectivamente.”.

A Bahema registra “os mais profundos agradecimentos a Ferreira por sua dedicação e efetiva contribuição durante o período em que participou como membro do Conselho de Administração.