Vale (VALE3) divulga nova política de gestão de risco

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação/Vale

A mineradora Vale (VALE3) divulgou nesta quinta-feira (10) sua nova política de gestão de riscos.

De acordo com a companhia, o objetivo é estabelecer diretrizes e orientações para a gestão integrada global dos riscos potenciais aos quais as entidades do sistema Vale estão expostas.

A nova política de gestão de riscos se aplica à Vale e às suas controladas integrais e deverá ser reproduzida nas suas controladas diretas e indiretas, sempre respeitando seus documentos constitutivos e a legislação aplicável.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Conforme a companhia, sua adoção é estimulada nas demais entidades nas quais a Vale tem participação societária.

A Vale informou que a nova política conta com 3 linhas defesas, sendo a primeira formada pelos donos dos riscos, ou seja, os responsáveis diretos por manter os riscos nos limites de tolerância definidos pela mineradora,e pelos executores dos processos das áreas operacionais, comerciais, de projetos, de suporte e administrativas.

Já segunda linha é composta pela área de Gestão Integrada de Riscos de Negócio (ERM, na sigla em inglês). O setor será subordinado ao Diretor Executivo responsável por Finanças e Relações com Investidores da Vale.

Enquanto a terceira é formada por áreas independentes da administração, auditoria interna e ouvidoria.

Política de divulgação ato ou fato relevante

A Vale também apresentou sua nova política de divulgação de ato ou fato relevante, nesta sexta-feira (11).

Conforme a mineradora, essa política deve ser compulsoriamente observada pelos acionistas controladores e seus eventuais representantes, pela Vale, pelos conselheiros, executivos e suas controladas, que tenha conhecimento de informação relativa a ato ou fato relevante, incluindo fornecedores, prestadores de serviços e terceiros, e, que, para fins da presente política, serão denominadas,em conjunto ou individualmente, como pessoas vinculadas.

Dessa forma, a presente Política se aplica a qualquer pessoa vinculada que porventura venha a se desligar, antes da divulgação pública de negócio ou fato iniciado durante seu período de gestão, e se estenderá pelo prazo de seis meses após o seu afastamento.

As empresas de capital aberto controladas pela Vale deverão adotar esta Política, com os ajustes que possam ser requeridos pela legislação e regulamentação locais aplicáveis.

Além disso, a Vale traçou nova regra para negociação de valores mobiliários da companhia.

A Vale acredita ser muito positivo ter seus empregados e administradores entre seus acionistas.

A decisão de investir no longo prazo em valores mobiliários de emissão da Vale, demonstra confiança no futuro e compromisso com a Vale.

No entanto, negociações irregulares com valores mobiliários emitidos pela companhia, realizadas por seus empregados e administradores, produzem efeito oposto.

A utilização de informação privilegiada, seja para fundamentar a realização de tais operações ou quaisquer outras, é ilegal e prejudicial para a Vale, seus acionistas, administradores e empregados.

“A negociação de valores mobiliários de emissão da Vale por pessoas vinculadas deve ser pautada por princípios de transparência, equidade e ética”, diz o documento.