União Europeia pede à Turquia que respeite acordo migratório

Daniele Andrade
Jornalista formada pela Universidade Positivo, pós-graduada em Mídias Digitais. Atualmente cursa bacharel em História. Gosta de produzir reportagens sobre política tanto nacional quanto internacional, economia e tecnologia.
1

Crédito: Reprodução Franz Wender/Unsplash

Líderes da União Europeia (UE) pediram que a Turquia cumpra seu compromisso, de barrar migrantes que tentem chegar aos países do bloco. Em uma discussão com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, na segunda-feira (09), líderes da UE reforçaram compromisso com o acordo de 2016. O qual vem sendo violado por Erdogan. Mas concordam em continuar o dialógo para tentar conseguir uma solução. Segundo informações da Agence France-Presse.

Após a reunião, o presidente turco deixou Bruxelas sem falar com a imprensa, e sem obter concessões concretas. Houve um único ponto que foi acordado entre União Europeia e Turquia. Referente a questão de executar um trabalho de avaliação conjunta, com foco na implementação do acordo.

O acordo em questão, foi firmado entre a União Europeia e a Turquia em 2016 e visto como controverso. Em que, ao ser colocado em execução foi possível reduzir a chegada de refugiados e migrantes às costas gregas. 

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

Em uma entrevista coletiva após a reunião, Charles Michael, chefe do Conselho europeu comentou:”Todo mundo tem que cumprir seus próprios compromissos do acordo”.

A reunião foi realizado pela União Europeia para tentar acalmar a situação, depois que o presidente turco anunciou em fevereiro que não iria impedir mais o fluxo dos migrantes. Em relação ao seu solo, em direção à fronteira com a Grécia. O que violaria o pacto firmado em 2016.

Logo após a declaração de Erdogan, milhares de migrantes foram a fronteira para tentar passar. O que obrigou as forças gregas a reforçar a segurança no local. A atitude do presidente turco trouxe a tona o medo de uma nova crise migratória, como ocorrida em 2015.