União Europeia pede “mais realismo” aos britânicos em negociações pós-Brexit

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: reino unido brexit

As negociações pós-Brexit entre a União Europeia e o Reino Unido, interrompidas por conta da pandemia de coronavírus, retornaram na terça-feira, com um aviso da UE.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Em entrevista ao jornal francês Le Monde, Michel Barnier, negociador europeu, disse que a situação é grave e pediu aos britânicos “mais realismo” nas conversas para tentar acabar com o impasse.

De acordo com nota da AFP, Barnier disse na entrevista que os britânicos estão tentando fechar uma espécie de “best of” (melhor de tudo) dos acordos fechados pela UE no ano passado, mas sem contrapartidas.

Os britânicos, por outro lado, argumentam que a UE quer colocar na negociação “propostas desequilibradas, que vinculariam o Reino Unido a regras, ou padrões, europeus”.

As negociações

O novo ciclo de negociações, iniciado na terça-feira, está previsto para continuar até sexta-feira.

Segundo a AFP, uma fonte afirmou que “as posições são muito rígidas e uma reviravolta seria uma surpresa”.

Comunicado

Nesta quarta pela manhã, após a primeira rodada da retomada de negociações entre União Europeia e Reino Unido, o BoE (Banco da Inglaterra) distribuiu um comunicado à imprensa, relatado pelo Estadão Conteúdo.

Nele, foi avisado que o sistema financeiro do Reino Unido deve estar preparado para todos os cenários, incluindo o que ficou conhecido como “Brexit sem acordo”.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

“É fundamental que o Banco da Inglaterra prepare o sistema financeiro do Reino Unido para todos os riscos que ele possa enfrentar. Ao desempenhar esse papel, o governador Andrew Bailey, presidente do BoE, encontra a liderança dos bancos do Reino Unido regularmente”, diz o comunicado.

“Como dissemos anteriormente, a possibilidade de que as negociações entre o Reino Unido e a UE sobre um futuro relacionamento comercial possam não resultar em um acordo é um dos vários resultados que os bancos britânicos precisam se preparar para os próximos meses”, complementa a nota.

Sem acordo

O comunicado do BoE foi enviado à imprensa poucas horas depois de o jornal Sky News citar que Bailey, ao sair do encontro com representantes da União Europeia, não teria chegado a um acordo comercial.

As divergências

São muitas as discordâncias que, por enquanto, impedem um acerto entre a União Europeia e o Reino Unido.

Entre elas, destacam-se questões como concorrência leal (sobre normas ambientais, sociais e fiscais), ou o direito dos pescadores de acessarem as águas britânicas..

De acordo com informações da AFP, Londres deve se pronunciar, antes do fim de junho, sobre um pedido de adiamento de um ou dois anos, a partir do final do período de transição.

Planilha de ações: baixe e faça sua análise para investir