UBS planeja oferecer investimento em criptomoedas

Karin Barros
Jornalista com atuação nos dois principais jornais impressos da Grande Florianópolis por quase 10 anos. Costumo dizer que sou viciada em informação, por isso me encantei com a economia, que une tudo de alguma forma sempre. Atualmente também vivo intensamente o mundo da assessoria de imprensa e do PR.
1

Crédito: Freepik

Está nos estágios iniciais de planejamento do UBS o oferecimento a clientes ricos para investir em moeda digital, segundo a Bloomberg.

Ele será feito em linha com outras empresas dos Estados Unidos que buscam atender à crescente demanda por acesso mais amplo a esses ativos.

O banco suíço estuda várias alternativas para oferecer a classe de ativos, disseram pessoas a par do plano.

Qualquer oferta de investimento seria uma porção muito pequena do patrimônio total dos clientes devido à volatilidade, enquanto as opções incluem aplicações por meio de veículos de investimento de terceiros, disse uma das pessoas, que não quis ser identificada.

Mais opções de bancos

Mais bancos globais começam a oferecer serviços de criptomoedas. O Goldman Sachs avança cada vez mais no mercado de Bitcoins, que movimenta US$ 1 trilhão, e lançou a negociação de contratos de derivativos de câmbio (NDF) vinculados ao preço do Bitcoin que pagam em dinheiro.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

O Morgan Stanley planeja oferecer acesso a três fundos que permitirão possuir moedas digitais, e o Bank of New York Mellon está desenvolvendo uma plataforma para ativos tradicionais e digitais.

O Citigroup também estuda lançar serviços de criptomoedas.

“Estamos monitorando de perto os desenvolvimentos na área de ativos digitais”, disse o UBS em comunicado.

“É importante ressaltar que estamos mais interessados na tecnologia que sustenta os ativos digitais, ou seja, a tecnologia do livro-razão.”

Outros tokens também chamam a atenção do mercado

O Bitcoin continua sendo a maior criptomoeda, mas outros tokens também atraem cada vez mais interesse.

Defensores das moedas digitais argumentam que investidores agora se sentem mais confortáveis em relação a uma variedade de tokens, enquanto os críticos dizem que o setor pode embutir uma bolha.

O UBS teme perder clientes se não oferecer o investimento a investidores ricos, disseram as pessoas.

Ethereum supera US$ 4 mil

A criptomoeda ethereum superou cotação de US$ 4 mil pela primeira vez nesta segunda-feira (10), informou a Reuters, atingindo um novo pico pelo terceiro dia seguido com apostas de que pode encontrar novos usos, embora analistas digam que está supervalorizada.

Segunda maior moeda em capitalização de mercado, o ethereum saltou mais de 6%, depois perdendo força para cerca de 2%.

Ele disparou este ano, alimentado por expectativas de uso mais amplo, baseado em parte em seu papel nas finanças descentralizadas plataformas que facilitam os empréstimos denominados criptografados fora dos bancos tradicionais.

Fatores positivos

Uma mudança técnica iminente em seu software, vista como uma redução no fornecimento, também deu impulso, enquanto novos investidores institucionais se entusiasmaram em meio a um trimestre morno até agora para o bitcoin.

Alguns analistas dizem que a crescente valorização do ethereum não é sustentada por dados de quão amplamente é usado.

Fatores como o número de endereços digitais ativos em sua rede seriam mais consistentes com um preço de cerca de US$ 1 mil, disse o banco dos EUA.

Os termos ethereum e ether tornaram-se sinônimos.

Ethereum é a rede blockchain na qual aplicativos são incorporados, enquanto ether é o token que habilita o uso desses aplicativos.