Uber anuncia mudanças e promete lucratividade até o final do ano

Juliana Gusmão
null
1

Crédito: Reprodução / ComputerWorld

Depois de anunciar perdas de mais de US$ 1 bilhão no quarto trimestre e prejuízo líquido de US$ 8,51 bilhões em 2019, o executivo-chefe do Uber Technologies, Dara Khosrowshahi, fez algumas promessas que os investidores esperam ver cumpridas, como afirma Therese Poletti em sua coluna no site MarketWatch.

As perdas foram menores do que os analistas e investidores esperavam e Khosrowshahi garantiu, então, que a empresa havia mudado seu modo de gastar e alcançaria lucratividade no final de 2020.

Apesar do resultado ruim, as afirmações do executivo repercutiram e as ações da empresa saltaram mais de 5% no pós-mercado, mostrando o entusiasmo dos investidores pelo Uber que Khosrowshahi promete que em breve existirá.

“Para mim, esses resultados são uma validação da estratégia que estabelecemos em 2019”, afirmou, complementando: “Continuaremos a executar implacavelmente nossos planos para cada um de nossos negócios em 2020”.

Aperto de cintos

De acordo com Khosrowshahi, o Uber iniciou um programa de aperto de cinto no último semestre de 2019, saindo de empreendimentos não rentáveis ​​e demitindo cerca de mil funcionários. Entre outras coisas, a empresa vendeu seu negócio de entrega de alimentos na Índia para uma startup local, a Zomato, em troca de uma participação de 9,9%.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

“No segundo semestre de 2019, iniciamos o processo de racionalização de nossa presença com  foco em nossos principais negócios”, disse o diretor financeiro da Uber, Nelson Chai.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo.