Turquia acusa Grécia por violação e maltrato de refugiados

Tatiane Lima
Jornalista, redatora sênior. Tecnóloga em Recursos Humanos e MBA em Comunicação e Marketing. Apaixonada por empreendedorismo criativo. Atuei nos três setores, com hard news, jornalismo on, off e redação publicitária.
1

Crédito: Engin Akyurt/Pexels

Em declaração na quarta-feira (4), o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, fez acusações à Grécia por violação dos direitos humanos e maltrato aos refugiados. De acordo com a agência EFE, Erdogan disse que os gregos estão infringindo os princípios ao “afundar os barcos” e “disparar” contra quem tenta acessar o país. Isso após a Turquia anunciar que não moverá esforços para impedir que a fronteira seja atravessada.

As acusações ocorrem depois que o presidente turco ameaçou a União Europeia (UE) com uma nova onda de migração. Conforme declarou Erdogan, milhões de pessoas seriam permitidas a acessar os países europeus, como prova de sua insatisfação com a falta de suporte diante à crise humanitária.

Segundo a EFE, Erdogan fez a declaração durante um encontro com deputados do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP). “Os gregos, que tentam de tudo, desde afogar os refugiados a matá-los a tiros, nunca deveriam se esquecer que talvez, algum dia, serão eles quem necessitarão piedade”.

Já de acordo com publicação do UOL, o presidente da Turquia relembrou da fuga e necessidade de refúgio dos gregos na 2ª Guerra Mundial. E, então, pediu que Grécia “respeite os refugiados que chegam ao seu território”.

Diante disso, Erdogan apoiou-se no artigo 14º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o qual confirma, em situação de perseguição, o direito à procura de asilo em qualquer país. “Os países que fecham suas fronteiras, afundam os barcos de refugiados, e os forçam a voltar a tiros, estão violando”.

Presidente da Turquia faz nova crítica à UE

Mais uma vez a UE foi alvo de críticas do líder turco. Dessa vez, por ter oferecido dinheiro à Grécia para conter a tentativa de migração de milhares de pessoas pela Turquia. “Foram correndo com 350 milhões de euros de ajuda financeira, barcos, armas e soldados. Muito bem. Deram esse apoio à Turquia, que acolhe quatro milhões de refugiados há dez anos?”, interrogou.

Ainda como informou o UOL, Erdogan informou, ontem (4), que líderes europeus estavam na capital da Turquia, Ancara. O objetivo da visita era ter um diálogo com o governo turco sobre a situação.  “Se vão nos ajudar, vamos em frente. Caso contrário, não ofereçam. Mas não tentem nos enganar. A Turquia gastou US$ 40 bilhões nisso e pode gastar outros US$ 40 bilhões”.