Turismo sofre com Covid-19 e acumula quase R$ 200 bi em perdas no ano

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução / Ministério do Turismo

A pandemia de Covid-19 atingiu a economia praticamente como um todo, mas um dos setores mais atingidos no Brasil foi o do turismo.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as perdas no faturamento já chegaram a R$ 182,86 bilhões desde o início do surto, em março.

Os dados mostraram que, em agosto, o  faturamento do setor ficou R$ 29,02 bilhões abaixo da média de antes da pandemia. Em todos os meses, de março a agosto, o faturamento ficou abaixo da média anterior.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada nesta sexta-feira (11) pelo IBGE apontou que o faturamento real do setor pode fechar o ano de 2020 com retração real de 37,2% no faturamento.

Setor cresce em julho, mas segue longe do ideal

A volta gradual às atividades do comércio e do setor aéreo no Brasil fizeram com que o setor do turismo apresentasse uma leve recuperação no mês de julho.

Segundo os dados da PMS, a atividade cresceu 4,8% em relação a junho e registrou a terceira alta seguida, mas o ganho de 36,1% no trimestre segue em desvantagem à queda registrada entre março e abril, auge da pandemia, que foi de 68,1%.

Diante desse cenário, a CNC projetou que o retorno dos níveis pré-pandemia no setor de turismo no Brasil só deve acontecer em meados de 2023.

Fábio Bentes, economista da CNC, comparou as receitas mês a mês com a média mensal de janeiro e fevereiro, antes do surto de coronavírus, e chegou à seguinte conclusão:

“Assim como nas pesquisas do próprio IBGE relativas à indústria e ao comércio, as empresas que compõem as atividades turísticas perceberam o fundo do poço da atual recessão no mês de abril”.

Menos turismo, mais demissões

O efeito natural e imediato da retração do setor foi o fechamento de vagas de trabalho.

De acordo com a CNC, a crise causada pela pandemia da Covid-19 já resultou no fechamento de 446,3 mil empregos formais no setor.

A compilação de dados do Caged, registro administrativo do Ministério da Economia, mostrou um encolhimento preocupante nas vagas de emprego direcionadas ao turismo no Brasil.

“Entre março e julho de 2020, a força de trabalho formal do turismo encolheu 12,8%, maior queda quando comparada aos demais setores da economia”, concluiu o relatório da CNC.

Leia também: IAE-FGV cresce 2,8% em julho