TST estende a mais dois sindicatos limitação de greve a 10% dos funcionários, diz Petrobras (PETR3)

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: ANDRÉ MOTTA DE SOUZA/AGÊNCIA/ PETROBRAS/Divulgação

De acordo com a Petrobras, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que mais dois sindicatos devem manter 90% dos trabalhadores com desempenho regular de suas atividades durante a greve iniciada no último sábado (1º). A multa pelo não cumprimento da decisão pode chegar a R$ 500 mil ao dia. Segundo a empresa, as ausências por motivo de greve implicam o desconto dos dias não trabalhados.

O Sindipetro-RJ e Sindipetro-Litoral Paulista são os dois sindicatos alcançados pela decisão. Eles são associados à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).

A estatal diz que os motivos alegados para o movimento grevista não atendem aos critérios legais. E cita trecho da decisão liminar do TST que enfatiza que “chama a atenção – a exemplo do que ocorreu na greve de novembro de 2019 – a aparente ausência de motivação para tão drástica medida”.

“A Petrobras está tomando todas as medidas operacionais e jurídicas necessárias para garantia das condições normais de operação. As ausências por motivo de greve implicam o desconto dos dias não trabalhados”, informou a empresa.

A estatal diz ainda que “segue aberta para dialogar com as entidades, nos termos e prazos acordados no TST durante a negociação do ACT vigente”.