Trump suspende negociação de pacote fiscal até depois da eleição

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Wikimedia

Nesta terça-feira (6), o presidente dos EUA, Donald Trump, rejeitou a proposta do Partido Democrata sobre um novo pacote de estímulos à economia, no valor de US$ 2,4 trilhões.

Além disso, Trump afirmou ter instruído os republicanos a pararem de negociar o pacote fiscal até depois da eleição presidencial, no dia 3 de novembro.

“Imediatamente após minha vitória, aprovaremos uma importante lei de estímulo que se concentra nos americanos trabalhadores e nas pequenas empresas”, informou em suas redes sociais.

Trump vs. Pelosi

Trump também disse que o valor de US$ 2,4 trilhões em estímulos serviria para resgatar estados democratas “mal administrados e com alto índice de criminalidade”.

A proposta foi feita pela presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.

De acordo com Trump, “fizemos uma oferta muito generosa de US$ 1,6 trilhão de dólares e, como sempre, Pelosi não está negociando de boa fé. Rejeito o pedido deles e olho para o futuro do nosso país”.

Ainda mais, o republicano pediu ao líder de seu partido no Senado, Mitch McConnell, que mantenha o foco na aprovação da juíza Amy Coney Barrett para a Suprema Corte.

A indicação foi realizada por Trump após a morte da juíza Ruth Ginsburg.

“Nossa economia está indo muito bem. O mercado de ações está em níveis recordes, os empregos e o desemprego também estão voltando em números recordes. Estamos liderando o mundo em recuperação econômica, e o melhor está por vir!”, completou.

Conforme divulgado, o republicano se recupera da Covid-19 na Casa Branca, depois de ter tido alta do hospital militar onde estava internado desde a última sexta (2).

Por fim, nos últimos dias, Pelosi e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, vinham conversando diariamente para chegar a um entendimento sobre o pacote fiscal.