Trump: alguns estados podem “reabrir” economia por volta de 1º de maio

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na noite desta terça-feira (14) que acredita que alguns estados poderão “reabrir” suas economias perto do dia 1º de maio, informa o portal de notícias CNBC.

Trump pretende suspender as restrições de distanciamento social impostas para retardar a propagação do novo coronavírus, o Covid-19, que paralisou o mundo e vem devastando o país.

Nesta terça, boletim da universidade John Hopkns aponta que os EUA têm 612 mil casos notificados e 25 mil mortes por causa do coronavírus.

O anúncio de Trump veio um dia depois que ele reivindicou autoridade “total” sobre quando suspender as medidas impostas pelo Estado.

É uma mudança de tom. Hoje, ele disse que são os próprios governadores que vão detalhar a “reabertura”.

A CNBC reporta que “apesar das alegações de Trump sobre seus poderes presidenciais, analistas jurídicos dizem que ele não pode alterar as medidas de saúde pública implementadas pelos estados”.

Ainda assim, Trump disse em coletiva de imprensa que “os planos para reabrir o país estão quase finalizados”.

Trump falará com os governadores

“Eu falarei com todos os 50 governadores muito em breve”, disse. “E autorizarei o governador de cada estado a implementar um plano de reabertura que for mais apropriado”.

“O dia está muito próximo porque certos estados estão em uma condição muito diferente. Vai ser muito, muito em breve. Talvez antes da data de 1º de maio”, disse.

Motim

Ontem, o presidente norte-americano enfrentou um motim de dez governadores.

Liderados pelo governador de Nova York, Andrew Cuomo, os mandatários Nova Jersey, Connecticut, Pensilvânia, Delaware, Massachusetts e Rhode Island, na costa leste, além dos da Califórnia, Oregon e Washington, a oeste, passaram a elaborar um plano para que empresas, escolas e pessoas em geral possam voltar às atividades normais.

Nove desses governadores são do Partido Democrata, de oposição a Trump.

Encurralado, Trump sustentou que ele, e não os governadores, era o encarregado de suspender as medidas duras de distanciamento social dos estados. Hoje, teve que volta atrás, em vista da separação de poderes entre os estados e o governo federal cimentado na Constituição.

Ele chegou a ironizar os governadores em sua conta pessoal no Twitter, antes de declinar: “Diga aos governadores democratas que ‘O Grande Motim’ foi um dos meus filmes favoritos de todos os tempos (o título original é ‘Mutiny On The Bounty’). Um bom e velho motim de vez em quando é algo emocionante e revigorante de se assistir, especialmente quando os amotinados precisam tanto do capitão. Fácil!”.

LEIA MAIS
Trump anuncia suspensão do financiamento à OMS

FMI prevê queda de 5,3% da economia brasileira este ano