Trump e Biden trocam insultos e acusações no primeiro debate

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Reprodução/CNN

O primeiro debate entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump e Joe Biden, realizado na noite desta terça-feira (29), foi marcado por uma troca de acusações pessoais, interrupções e discussões acaloradas. Trump praticamente não deu espaço para Biden, que em certo momento chegou a mandar o adversário calar a boca. O moderador Chris Wallace teve que repreender o presidente várias vezes. Biden chamou Trump de idiota, palhaço e “o pior presidente da história”.

De acordo com a CNBC, os candidatos se revezaram proclamando suas qualificações para conduzir a economia durante a pandemia do novo coronavírus.

Enquanto Trump destacou cortes de impostos favoráveis ​​aos negócios e ganhos no mercado de ações, Biden reforçou a criação significativa de empregos no período em que era vice-presidente no governo Obama.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Trump, por sua vez, afirmou que as altas nos mercados acionários representam mais empregos.

Já Biden acrescentou que durante seu governo, como vice, recuperou a economia e a entregou em expansão para a administração Trump.

Coronavírus

A discussão sobre o coronavírus foi um dos momentos mais tensos do caótico duelo. O ex-vice-presidente disse que Trump não tem um plano de combate à doença, destacando que mais de 200 mil americanos morreram desde o começo da pandemia.

Trump rebateu afirmando que China é a responsável por disseminar a doença e que não se sabe ao certo o número de vítimas no país asiático para se dizer que o EUA tem o maior número de casos no mundo. Disse também que os americanos estão “a algumas semanas de ter uma vacina para o coronavírus”. “Até pessoas que não são exatamente aliadas a mim dizem que fiz um trabalho fenomenal”, afirmou o presidente.

O republicano disse também que Biden irá paralisar o país novamente como medida de contenção do vírus, depois de seu governo começar a reabrir a economia.

Amazônia

A devastação da Amazônica entrou no debate. Ao abordarem a política ambiental e falarem sobre as recentes queimadas na Costa Oeste, Biden afirmou que a floresta está sendo destruída e prometeu oferecer, se for eleito, U$$ 20 bilhões para a preservação da região. Também disse que poderia fazer retaliações ao governo brasileiro se o desmatamento não for contido. O ex-vice-presidente prometeu recolocar o país no acordo climático de Paris.

Trump neste momento acusou o adversário de apoiar o “Green New Deal”, plano ambiental que é defendido por expoentes da esquerda norte-americana. Biden negou e disse ter seu próprio plano ambiental.

Questão racial

Com relação à política racial, Biden acusou Trump de acentuar a segregação e o racismo no país e de fazer um governo “desastroso” para os afro-americanos. O presidente respondeu dizendo que fez mais por essa população que qualquer outro presidente. Perguntado sobre ações contra supremacistas brancos, disse tomará medidas, mas que é preciso conter os antifas e a esquerda radical.

O democrata tentou se desvincular de acusações dos republicanos de que, se eleito, irá retirar recursos da polícia. Esse é um dos pedidos de manifestantes anti-racismo, que desde maio fazem protestos pelo país contra, entre outros pontos, os excessos da polícia contra os negros. “Policiais precisam de mais assistência”, afirmou o vice-presidente depois de negar o corte de verbas.

Suprema Corte

A indicação da juíza conservadora Amy Coney Barrett para a Suprema Corte, a pouco mais de um mês das eleições, também foi abordada. Biden afirmou que a indicação não poderia ter sido feita nesse momento, uma vez que a campanha eleitoral já está correndo, e deveria ficar para o próximo presidente. Mas Trump afirmou que foi eleito por quatro anos e não por três.

O debate foi realizado em Cleveland, Ohio e durou cerca de uma hora e meia De acordo com levantamento feito CNN americana e reportado pelo UOL, Trump teve a palavra na maior parte do tempo: foram 39 minutos e 6 segundos de fala, ante 37 minutos e 56 segundos de seu adversário. Para a emissora, este foi “o pior debate já visto”.

Os dois ainda tem outros dois debates pela frente antes das eleições de novembro, no dia 15 e 22 de outubro.

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro respondeu às afirmações de Biden em suas redes sociais nesta manhã. Afirmou que o Brasil mudou e “seu presidente não aceita mais subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças”. “Nossa soberania é inegociável”, disse.

Bolsonaro também disse que a cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade, mas essa manifestação por “alguém que disputa o comando de seu país” sinaliza que vai abrir mão de uma convivência cordial.