Trump ameaçou países europeus para pressionar denúncia contra o Irã

Gabriela Brands
Profissional com graduação em Jornalismo, pós-graduação em Planejamento em Comunicação e Gestão de Crises de Imagem e em Marketing. Tem experiência sólida em Comunicação Política, Assessoria de Imprensa e Gestão de Crises.
1

Crédito: fotos públicas

Com o propósito de pressionar uma denúncia contra o Irã por romper o acordo nuclear com França, Alemanha e Reino Unido, Donald Trump, ameaçou impor uma tarifa de 25% contra a indústria automobilística europeia. A informação foi divulgada na quarta-feira (15) pelo jornal The Washington Post.

Apesar da medida representar uma imposição inédita da Casa Branca, a ação surgiu efeito. Posteriormente, os três países denunciaram formalmente o Teerã por violar os termos do pacto nuclear de 2015. Mas, a denúncia provocou a reação do presidente iraniano, Hasan Rowhani. No dia seguinte, Rowhani fez um pronunciamento na televisão estatal iraniana. No discurso, afirmou que os soldados europeus no Oriente Médio “poderiam estar em perigo” após a denúncia.

De acordo com o Washington Post, os europeus já planejavam a denunciar Teerã antes da pressão americana. No entanto, cogitaram desistir da medida após a ameaça do presidente americano.

EQI, BTG Pactual Forpus Capital lançam novo fundo de ações

Uma série de reuniões entre representantes iranianos e europeus estão agendadas para tratar do caso. Entretanto, se não houver resultado o assunto deve ser levado ao Conselho de Segurança da ONU. A etapa de resolução pode levar até dois meses, caso não haja acordo nas etapas iniciais e seja necessário cumprir todo o caminho previsto no pacto.

A questão nuclear está no centro da disputa entre os EUA e o Irã, cuja tensão cresceu muito nos últimos tempos. O ápice do conflito entre os dois países começou depois que os EUA mataram o general Qassim Suleimani, maior autoridade militar do país, em um ataque no Iraque em 3 de janeiro.