Para Trump, PIB americano ficaria perto de 4% se não fosse Fed

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).
1

Crédito: Reprodução Reuters / Yuri Gripas

Em entrevista à CNBC, nesta quarta-feira (22), o presidente dos EUA, Donald Trump, declarou que o crescimento do PIB americano teria sido próximo de 4% se não fosse o efeito persistente dos aumentos das taxas praticados pelo Federal Reserve (Fed).

Trump também sugeriu que o mercado de ações seria ainda mais alto do que o recorde já estabelecido, se o Fed não tivesse aumentado as taxas tão rapidamente antes de cortá-las três vezes durante 2019.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

“Se não tivéssemos feito um grande aumento de juros, acho que estaríamos perto de 4%. E eu – eu pude ver de 5.000 a 10.000 pontos a mais no Dow. Mas isso foi demais quando eles aumentaram a taxa. Foi apenas um grande erro”, criticou Donald Trump.

As declarações do presidente dos EUA estão em consonância com Larry Kudlow, que é a sua referência para questões econômicas, que declarou, na terça-feira (21) que o crescimento do Produto Interno Bruto dos EUA seria em torno de 3% em 2020.

“Este é um ciclo longo, e o que você conseguiu aqui nos anos Trump é essencialmente um miniciclo ascendente. Você passou de 1,5% para 2% de crescimento. Tivemos quase 4%, depois o Fed apertou”, disse Kudlow.

Os dados divulgados este mês sobre manufatura e comércio indicaram que a economia dos EUA terminou 2019 com uma forte nota e deve crescer mais de 2% no quarto trimestre desse ano. Isso representaria uma desaceleração do crescimento de 2,9% em 2018 e um crescimento de 2% ainda sugeriria que a expansão de uma década deve continuar neste ano, quando Trump vai disputar a reeleição.

As declarações do presidente dos EUA vieram logo após o primeiro dia do processo de impeachment ter sido concluído e um dia depois de seu discurso em Davos, onde ressaltou o crescimento econômico de seu país com forte geração de empregos e redução da pobreza.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo