Transações com criptomoedas são consideradas ilegais na China

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Banco Central da China comunicou nesta sexta-feira (24) que passa a considerar como sendo ilegal todas as transações com criptomoedas no país. A autoridade monetária daquele país considerou que os negócios com moedas virtuais estariam colocando em risco os ativos das pessoas.

De acordo com matéria da agência France Press, a decisão faz com que bolsas estrangeiras fiquem impedidas de oferecer investimentos com criptoativos via internet.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

A decisão atingiu em cheio a cotação do Bitcoin. Este criptoativo cai 5,33% com a decisão da autoridade monetária do país. Com isso, esta moeda virtual cai para US$ 42,379,24 mil.

Esta não é a primeira medida restritiva envolvendo moedas virtuais na China. Há alguns meses, bancos e empresas financeiras já haviam sido proibidos de oferecer produtos de moedas eletrônicas.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Criptomoedas: repressão no mercado

Além das proibições agora em vigor, o Banco Central da China também investigará funcionários de empresas de câmbio de moedas, segundo informou a CNBC.

O banco chinês ainda divulgou que ampliou o alcance de seus sistemas. A ideia é conseguir intensificar e monitorar as transações consideradas especulativas dos ativos virtuais. Desta forma, pretende eliminar os mesmos.

Outra medida de restrição saiu em julho. O Banco Central do país determinou o fechamento de uma empresa. A companhia, com sede em Pequim, supostamente facilitava transações com criptoativos. Isto era feito usando o software da empresa.

Leia também: El Salvador adota Bitcoin como moeda oficial