Títulos públicos federais desvalorizam em novembro, diz ANBIMA

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Photo by Mark Finn on Unsplash

O IMA-Geral, o Índice de Mercado ANBIMA, que acompanha a variação dos títulos públicos federais, tiveram desvalorização de 0,71% em novembro, o pior resultado mensal desde maio de 2018, quando houve a greve dos caminhoneiros. No acumulado do ano, o retorno médio é positivo, de 11,82%, de acordo com o Boletim de Renda Fixa.

“O resultado do mês passado foi impactado, principalmente, pela volatilidade no mercado externo”, disse Notini, Gerente de Preços e Índices. Os índices que representam papéis com prazos maiores foram mais afetados. O IMA-B5+, que acompanha NTN-Bs com mais de cinco anos, teve variação negativa de 4,07% em novembro. No acumulado do ano, entretanto, mantém a melhor performance entre os demais subíndices, de 27,06%. Já o IRF-M1+, que reflete papéis pré-fixados com mais de um ano, caiu 0,83% no mês, chegando a 13,42% no ano.

O IMA-B5, refere-se as NTN-Bs até cinco anos, em novembro teve retorno negativo, de 0,28% (no ano, aumentou 11,77%). O IRF-M1, que retrata os ativos pré-fixados de até um ano, e o IMA-S, que segue a trajetória da Selic com os papéis pós-fixados, tiveram crescimentos de 0,33% e de 0,38%, respectivamente – em 2019, esses subíndices acumulam altas de 6,31% e 5,59%.

Mercado de Debêntures

Ademais, os títulos privados registraram quedas no mês passado. O IDA-Geral (Índice de Debêntures ANBIMA) caiu 0,65% no mês. Assim, pela primeira vez desde sua criação, em 2009, o IDA-DI apresentou retorno médio negativo, de 0,07%.


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374