Com juros mais baixos, confira se vale a pena investir em títulos públicos

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.

Crédito: Photo by Christian Dubovan on Unsplash

Com o cenário de juros baixos, o investidor pode ficar com dúvida se vale a pena investir em títulos públicos. A resposta depende do perfil e do objetivo de cada um.

Mas, para executar uma boa diversificação, é necessário reunir ativos líquidos e seguros contrabalanceado com aplicações mais arriscadas e menos líquidas. Desta forma, alocar em títulos públicos ainda é uma excelente alternativa para o investidor. Isso acontece porque o programa Tesouro Direto possui diferentes possibilidades de investimento.

Tesouro Selic

Entre as opções disponíveis no Tesouro Direto, a aplicação no Tesouro Selic é uma ótima alternativa para reserva de emergência em razão de sua liquidez e segurança. Motivo: esse investimento tem liquidez diária e acompanha a variação da taxa básica de juros.  Outro ponto é que os títulos públicos federais são os ativos mais seguros do país, pelo menos em tese.

O programa do governo conta ainda com títulos prefixados ou indexados à inflação. O Tesouro IPCA, mesmo com taxas baixas, deve ser avaliado como uma opção de investimento para aposentadoria. Ele é corrigido pela inflação mais uma parte fixa, garantindo ganho real para o investidor no vencimento do título.

Para quem deseja obter retornos expressivos no curto prazo, talvez a curva de juros já esteja precificada, inviabilizando as chances de ganho de capital ou de carrego por meio da marcação a mercado.

Títulos públicos ou ações?

Com a Selic no menor patamar histórico, especialistas afirmam que o investidor deverá correr mais riscos para obter melhor rentabilidade. Por isso, observamos nos últimos anos um fluxo migratório dos títulos públicos para a bolsa de valores. Mas, será que o investidor deve abonar os títulos públicos pelo investimento em ações?

É verdade que investimentos em ações podem ser bem atrativos. Entretanto, não é aconselhável aplicar todo o capital em uma única classe de ativo, ainda mais tratando-se de renda variável. Desta forma, mesmo com as taxas de juros baixas os títulos públicos continuam sendo uma boa pedida.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

LEIA MAIS:

Fundo de emergência: saiba onde aplicar para uma liquidez diária

Money Week: conheça o maior evento online de investimentos do Brasil

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.