Tipos de Fundos Imobiliários

Ângelo Manzan Dalla Vecchia
Aluno de engenharia civil pela UFSC, interessado pela área de engenharia econômica, planejamento, análise de investimentos e finanças comportamentais. Obteve estes conhecimentos através de experiências profissionais, disciplinas cursadas e livros como A Árvore do Dinheiro e Misbehaving: The Making of Behavioral Economics. Assessor de Investimentos da Euqueroinvestir.com Mande-me um e-mail: angelo.dalla@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (48) 99850-0645
1

Foto: img-capa-fiis

Você já ouviu falar que os Fundos Imobiliários são bons investimentos para este ano?icone-fundos-de-investimentos

Este post vai te orientar sobre os cinco tipos de Fundos Imobiliários que existem.

Este tipo de investimento vai de encontro principalmente a investidores que sempre ouviram dos pais que investir em imóveis sempre foram uma boa no nosso mercado.

  • Estes fundos permitem o investidor a ser sócio de prédios comerciais ou até mesmo shoppings sem necessitar do volume enorme para comprar o imóvel inteiro.

[box type=”note” align=”” class=”” width=””]Através das cotas, o investidor pode ser dono de residências, construções, escritórios, shoppings centers, galpões industriais, etc. E ainda melhor, você pode diluir o risco investindo em tipos variados de fundos com diferentes particularidades.[/box]

Entre tantas outras características que não serão abordadas neste post, mencionaremos apenas que os aluguéis mensais recebidos pelo acionista (rendimentos) são isentos de Imposto de Renda.

E que as cotas dos fundos são negociadas em bolsa. Ou seja, é possível ganhar de duas formas: com os aluguéis mensais (que são os rendimentos do fundo) e com a valorização da cota do fundo.

[banner id=”teste-perfil”]

Agora explicaremos as características essenciais de cada categoria de fundo imobiliário.

  • Fundos de tijolo

Estes fundos (fundos de renda ou conhecidos também como fundos de “tijolo”) constroem ou compram imóveis visando os alugar. E esta renda que vem dos aluguéis dos imóveis é distribuída entre os acionistas.

[box type=”info” align=”” class=”” width=””]A divisão da renda aos acionistas (ou cotistas) é estabelecida de acordo com os pagamentos dos locatários, podendo então ser variável ou fixa.[/box]

Dentre todos os Fundos Imobiliários, considera-se este o de menor risco. O principal risco deste tipo de fundo é a vacância dos imóveis que compões o fundo. O que pode influenciar nos lucros distribuídos pelo fundo.

Baixe planilha que irá te ajudar a analisar Fundos Imobiliários.

A quantidade e os tipos de imóveis para compor o fundo depende do gestor do fundo, que é a pessoa responsável por decidir a estratégia do fundo sob gestão.

Cabe ao investidor estudar a qualidade da gestão e a diversificação necessária para cumprir o seu perfil de investimento.

[banner nome=”facebook”]

Geralmente, os tipos de imóveis que os fundos de tijolo investem são:

[tie_list type=”checklist”]

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

  • Lajes corporativas
  • Shopping
  • Galpões industriais
  • Agências bancárias
  • Imóveis residenciais
  • Escolas, universidades e hospitais
  • Hotéis e flats

[/tie_list]

  • Fundos de desenvolvimento

O foco deste tipo de fundo é a edificação para a venda posterior. O lucro vindo destes negócios gera o plano de distribuição de rentabilidade ao cotista.

 

Contrariamente aos fundos de renda, os fundos de desenvolvimento são considerados com risco maior.

Entre os [highlight color=”yellow”]principais riscos[/highlight] estão os riscos relacionados à construção em si: atraso no término e entrega da obra, problemas com licenças ambientais e orçamentos estourados. Assim como ele geralmente tem maior risco, também apresenta maior [highlight color=”yellow”]possibilidade de retorno.[/highlight]

Os fundos de desenvolvimento costumam propor uma renda mínima garantida enquanto os imóveis estiverem em construção, como forma de incentivo aos acionistas. Já que dificilmente eles conseguem fornecer uma sequência de [highlight color=”yellow”]vendas estáveis.[/highlight]

É comum aos fundos que constroem imóveis residenciais vendê-los somente quando as construções estão terminadas. Por outro lado, aqueles que visam construção de imóveis corporativos podem mantê-los sob gestão por algum tempo para desfrutar dos aluguéis.

  • Fundos de compra e venda

[box type=”info” align=”” class=”” width=””]Estes retiram o lucro com a compra e venda de imóveis. Basicamente tentam comprar quando mercado está em baixa para vender na alta.[/box]

É visto como um tipo arrojado de fundo imobiliário e os rendimentos tendem a ser variáveis, assim como nos fundos de desenvolvimento.

A fim de passar mais estabilidade ao cotista e reduzir o risco, alguns fundos combinam a compra de alguns imóveis para ter aluguel e assim evitar ficar sem renda por um [highlight color=”yellow”]período longo.[/highlight]

  • Fundos de recebíveis imobiliáriosicone-empresa

Conhecidos também como fundos de papel. Estes fundos de recebíveis imobiliários provavelmente são os que mais geram dúvidas para o investidor. Porque exigem compreensão em alguns produtos de investimento: como CRI, LCI, LCA, LH etc.
A intenção deste post não é explicar o que são recebíveis. Entretanto, podemos adiantar que são títulos de renda fixa usados para captar recursos e assim possibilitar o investimento em mercado imobiliário pelo fundo, sendo o CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) a forma principal.

Para resumir, securitizadoras lançam o CRI e vendem para os investidores este direito de receber dos futuros compradores dos imóveis. Com estes recursos são financiados os empreendimentos.

Geralmente a rentabilidade destes títulos é relativa, ou seja, é atrelada a um índice de inflação ou ao CDI.

O maior risco é a inadimplência dos compradores destes imóveis. O que prejudica a liquidação dos títulos, os quais têm como garantia os próprios imóveis.

Certos investidores já estão acostumados a comprar CRI’s oferecidos por corretoras intermediadores através de nomes como [highlight color=”yellow”]LCI (Letra de Crédito Imobiliário) ou LH (Letra Hipotecária).[/highlight]

  • Fundos de fundosicone_grande_empresa-2

Este tipo investe em outros fundos. Esta dinâmica atrai bastantes investidores pelo fato de, geralmente, serem conseguir diversificação.

É de fundo imobiliário preferido pelo acionista que quer evitar a responsabilidade de escolher os ativos para a carteira de investimentos. Ou seja, através de apenas um fundo conseguir investir em demais fundos com diferentes características.

Por depender da rentabilidade de vários outros fundos, frequentemente têm a remuneração variável.

O ponto principal a ser observado pelo acionista na escolha de qual destes fundos investir é a capacidade e qualidade do gestor.

Este artigo ajudou a esclarecer sobre investimentos imobiliários? Fique tranquilo que logo faremos uma série de vídeos que o ajudarão mais. Comente abaixo o que achou ou dúvidas que surgiram!