TIM (TIMS3) vende controle da FiberCo pelo total de R$ 1,63 bi

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: TIM (TIMS3)

A TIM (TIMS3) anunciou que o Conselho de Administração aprovou um acordo entre a companhia e a IHS Fiber Brasil, que adquiriu participação societária na FiberCo.

O valor (Enterprise Value) da FiberCo ficou estabelecido em R$ 2,6 bilhões.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

A transação contempla componentes primários (R$ 609 milhões) destinados ao caixa da FiberCo e secundários (R$ 1.027.590.000,00), a serem pagos a TIM.

TIM (TIMS3) registra alta de 13% no lucro líquido do 4TRI20

A FiberCo é uma empresa da TIM que inclui ativos de rede e prestação de serviços de infraestrutura.

A IHS, provedora de infraestrutura de telecomunicações, é focada em mercados emergentes e atuação em nove países da África, Oriente Médio e América Latina.

No acordo, fica estabelecida a alienação por parte da TIM de 51% do capital social da FiberCo em favor da IHS. A operadora permanece com os restantes 49% da empresa.

“A relação entre as sócias será regulada por acordo de acionistas, a ser celebrado no momento de fechamento da transação”, diz a Tim, em comunicado.

“A base inicial de ativos da FiberCo será constituída pela contribuição de infraestrutura de rede secundária da TIM, que cobre, aproximadamente, 6,41 milhões de domicílios — considerando uma sobreposição de cobertura entre FTTH (Fiber to the Home) e o FTTC (Fiber-To-The-Cabinet) de 577 mil casas –, sendo 3,5 milhões em FTTH2 e 3,5 milhões em FTTC3.”

Além disso, serão transferidos à FiberCo outros ativos, contratos e empregados, todos exclusivamente relacionados às suas atividades, acrescenta a Tim.

“As transferências só irão se concretizar após o acordo ser aprovado pelas autoridades competentes”, lembra a nota.

TIM: termos do acordo

A FiberCo nasce com a missão de implantar, operar e manter infraestrutura para acessos de banda larga a ser oferecida no mercado de atacado, segundo a TIM.

Os termos do acordo definem a TIM como cliente âncora, tendo a prerrogativa de seis meses de exclusividade após a entrada em novas áreas.

Diz a TIM: “Espera-se que essa transação possa suportar o plano da companhia para aceleração da oferta de serviços de conectividade em fibra. Dessa maneira, o plano de negócios da FiberCo tem a expectativa de atingir 8,9 milhões de domicílios cobertos em FTTH em 4 anos.”

A FiberCo participará ainda de outros projetos de infraestrutura, como o FTTSite6, junto com a TIM.

“Esta transação sempre foi encarada pela companhia sob a ótica industrial, buscando a evolução e crescimento do seu negócio de banda larga”, observa a TIM.

“Entretanto, os impactos positivos de ordem financeira e econômica não podem ser deixados de lado. A expectativa é de que o negócio possibilitará à companhia “desconsolidar” uma parte relevante do seu CAPEX, provocando um efeito positivo em seu fluxo de caixa.”

Em paralelo, a TIM espera utilizar os ganhos dessa transação para auxiliar no cumprimento de suas obrigações de investimento, como a aquisição dos ativos da Oi Móvel.

A operação está sujeita à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

TIM (TIMS3) aprova novo programa de recompra de ações

A TIM (TIMS3) informou o encerramento do Programa de Recompra de Ações aprovado em reunião do Conselho de Administração em 29 de julho de 2020.

Durante o período desse Programa, o de número 4, foram adquiridas, segundo a TIM,  397.331 ações ordinárias a um preço médio de R$ 12,11, para fazer frente às obrigações decorrentes do Plano de Incentivo de Longo Prazo baseado em ações e dirigido aos executivos da companhia.

A TIM aprovou um novo programa de recompra de ações, o de número 5. O objetivo, segundo a companhia, é apoiar a remuneração baseada em ações do Plano de Incentivos de Longo Prazo ou para eventual cancelamento, sem redução do capital social.

A quantidade de ações que poderão ser adquiridas é de até 2.890.417 de ações ordinárias, sem redução do capital social. Isso corresponde a 0,09% do total de ações ordinárias ou 0,27% do total de ações em circulação.

De acordo com a TIM, o programa 5 permanece em vigor até 5 de novembro de 2022, com as aquisições realizadas na B3 (B3SA3), a preços de mercado.

Os recursos serão utilizados dos saldos das reservas de capital e de lucros, que totalizam R$ 6.856.779.468,36.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.