AES Tietê (TIET4) lucra 21,5% a mais no balanço do primeiro trimestre

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

A AES Tietê (TIET4) reportou no primeiro trimestre de 2020 um lucro de R$ 75,30 milhões.

Os números representam um avanço de 21,5% frente ao mesmo período de 2019, quando atingiu R$ 62 milhões.

No mesmo período, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Tietê atingiu R$ 312,8 milhões, resultado 18,3% superior à igual intervalo de 2019.

Já a margem Ebitda foi de 63,3%, configurando uma alta de 9 pontos percentuais.

Segundo a companhia, o avanço do Ebitda se deve “principalmente ao incremento da margem líquida consolidada em R$ 56,1 milhões em função dos resultados trazidos pela fonte hídrica e à entrada em operação do complexo solar Ouroeste”.

A receita operacional líquida somou R$ 494,4 milhões, correspondendo a um incremento de 1,6% nos números. Entre janeiro e março de 2019 a receita foi de R$ 486,8 milhões.

Já o resultado financeiro líquido registrado pela Companhia no primeiro trimestre de 2020 foi uma despesa de R$118,5 milhões, 31,2% maior do que a despesa de R$90,3 milhões registrada no primeiro trimestre de 2019.

Dívidas e Investimentos

A dívida líquida consolidada da AES Tietê encerrou 31 de março de 2020 em R$ 2,86 milhões, montante inferior em 4,6% à posição registrada no mesmo período do ano anterior (R$ 3 milhões).

O índice de alavancagem (Dívida Líquida / Ebitda Ajustado) encerrou o primeiro trimestre em 2,64x, enquanto o índice de cobertura de juros (Ebitda Ajustado / Despesas Financeiras) fechou em 2,74x.

A Companhia declarou ainda que prevê investir cerca de R$ 1,4 bilhão no período entre 2020 até 2024.

Os investimentos serão destinados à modernização e manutenção de ativos em operação e à expansão, com destaque para o início da construção do complexo Eólico Tucano, com previsão de início de obras em janeiro de 2021.