Tesouro Direto tem segunda maior emissão de títulos da história

Rebeca Torres
null

Crédito: Joelfotos / Pixabay

Em março, as operações de investimento no Tesouro Direto somaram R$ 3,02 bilhões. É a segunda maior emissão de títulos da história.  A quantia só perde para maio do ano passado. A informação é do Tesouro Nacional.

O total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que nos dias de hoje estão com seus saldos investidos em aplicações do programa, atingiu a marca de 1.213.807 pessoas em março de 2020.

O número de investidores aumentou para 349.727, ou 5,67% na comparação com fevereiro de 2020, alcançando a marca de 6.512.580 pessoas.

Operações de investimento atingem segunda marca histórica

No mês passado, foram realizadas 352.350 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto.

Já os resgates somaram R$ 3,80 bilhões. Houve resgate líquido de R$ 780,90 milhões, com as aplicações de até R$ 1 mil. Isto representa 60,86% das operações de investimento no mês e o valor médio por operação sendo de R$ 8.567 ,41.

Os títulos mais procurados pelos investidores foram os títulos inseridos à taxa Selic (Tesouro Selic), totalizando R$ 1,42 bilhão, o que representa 47,2% das vendas.

Por outro lado, os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram, em vendas, R$ 1 bilhão, que corresponderam a 33,2% do total. Os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) totalizaram R$ 590, 81 milhões em vendas, ou 19,6% do total.

Nas recompras (que corresponde aos resgates antecipados), predominaram ainda os títulos indexados à taxa Selic, que somaram R$ 2,10 bilhões (55,31%).

Os títulos remunerados por índices de preços (Tesouro IPCA+, Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 1,13 bilhão (29,78%) e os prefixados, R$ 566, 61 milhões (14,91%).

Quando nos referimos ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos que tinham validade entre 1 e 5 anos. Eles representam 52,2% do total.

Assim, as aplicações em títulos com vencimento acima de 10 anos representaram 27,1%. Já os títulos com vencimento de 5 a 10 anos corresponderam a 20,7% do total.

Estoque total do programa

Em março de 2020, o estoque total do programa fechou em R$ 58,44 bilhões. O resultado representa uma queda de 0,61% se comparado ao mês anterior. Em fevereiro, foi de R$ 58,79 bilhões.

Os títulos remunerados por índices de preços continuam sendo os mais representativos do estoque. Eles somam R$ 29,05 bilhões, ou 49,7% do total.

Em seguida, vêm os títulos inseridos à taxa Selic. Eles totalizam R$ 19,04 bilhões (32,6%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 10,35 bilhões, com 17,7% do total.

O perfil de vencimento dos títulos em estoque, parcela com vencimento de até 1 ano, ficou em R$ 5,48 bilhões. Isto representa 9,4% do total.

A parcela do estoque com validade de 1 a 5 anos foi de R$ 35,65 bilhões (61,0%). O percentual acima de 5 anos somou R$ 17,31 bilhões (29,6%).

LEIA MAIS

https://www.euqueroinvestir.com/tesouro-direto-vive-volatilidade-momento-e-de-oportunidade/

https://www.euqueroinvestir.com/tesouro-direto-suspende-negocios-em-meio-a-tensao-nos-mercados/