Tesouro Direto: taxas têm ligeira alta nesta quinta-feira

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.

As taxas de juros dos títulos do Tesouro Direto estão em alta nesta quinta-feira (4). As únicas exceções são os papéis de mais longo prazo atrelados ao IPCA, que estão em queda.

O que você verá neste artigo:

Prefixados

O Tesouro Prefixado com vencimento em 2023 tinha taxa ontem de 4,07% ao ano e hoje está em 4,11%.

Os títulos prefixados com vencimento em 2026 pagam hoje 6,28% contra 6,25% nesta quarta-feira.

Já os títulos com vencimento em 2031 e juros semestrais têm uma rentabilidade de 6,95% ao ano hoje contra 6,92% ontem.

IPCA

Com relação aos títulos atrelados à inflação, o Tesouro IPCA+ 2026 oferece uma taxa de 2,70% ao ano, contra 2,69% ontem.

Os títulos IPCA+ com vencimento em 2035 e 2045 estão pagando 4,13%, ante 4,12%.

O IPCA+ com juros semestrais e vencimento em 2030 passaram de 3,39% para 3,40%.

E, por fim, os papéis com vencimento em 2040 e 2055 tiveram uma redução de 4,06% e 4,20%, respectivamente, para 4,05% e 4,18%.

Selic

O Tesouro Selic, que tem vencimento em 2025, se mantém em 0,03%.

O investimento mínimo para aplicações em Tesouro Direto é de R$ 35,62 hoje.

Confira as taxas aqui.

Cenário

Os mercados financeiros, após o otimismo dos três últimos dias, estão em movimento de realização de lucros. A bolsa brasileira, sem indicadores importantes internamente, segue o ânimo do exterior e recua, enquanto o dólar tem leve alta.

Saíram mais cedo os dados de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, um importante indicador do comportamento da economia norte-americana. Houve o registro de 1,877 milhão de novos pedidos, 249 mil a menos que na semana anterior, mas ainda um número elevado, o que mostra que a pandemia de coronavírus continua a impactar o mercado de trabalho.

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou a expansão do programa de compra de títulos de dívidas dos governos em 600 bilhões de euros. O mercado esperava 500 milhões. As taxas de juros foram mantidas.