Tesouro Direto: taxas dos títulos recuam nesta terça

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução / Canva - Crescimento de Capital

As taxas dos títulos do Tesouro Direto caem nesta terça-feira (28) na comparação às oferecidas na segunda-feira (27).

A maioria dos títulos apresentaram correções para baixo. As exceções foram o Tesouro Prefixado 2023 e 2026.

TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 27/07/2020Taxa (% a.a.) 28/07/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,44 3,88%3,92%+0,04
Prefixado 2026R$ 36,36 6,02%6,05%+0,03
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 37,166,80%6,78%-0,02
Selic 2025R$ 106,560,03%0,03% 0,00
IPCA + 2026R$ 58,212,15%2,12%-0,03
IPCA +2035R$ 39,623,56%3,53%-0,03
IPCA + 2045R$ 42,053,56%3,53%-0,03
IPCA + juros semestrais 2030R$ 42,872,85%2,83%-0,02
IPCA + juros semestrais 2040R$ 45,113,60%3,58%-0,02
IPCA + juros semestrais 2055R$ 47,313,79%3,79%0,00

Cenário Interno

No Brasil, hoje é dia de divulgação do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), com expectativa de forte contração do mercado formal de trabalho em junho. A projeção é de menos 195 mil vagas. Em maio, foram fechados 331,901 mil postos.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,84% em julho. O resultado, divulgado nesta terça-feira (28) pela Fundação Getulio Vargas, é superior ao de junho, quando teve leitura de 0,32%.

A taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 0,68% em junho para 0,75% em julho. O índice referente à Mão de Obra subiu 0,92% na passagem de junho para julho.

No acumulado do ano, o INCC registra alta de 2,55%. E em 12 meses finalizados em julho, 3,95%.