Tesouro Direto: taxas dos títulos operam mistas nesta quinta

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Tesouro desembolsa R$ 10 bi ao pagar juros das NTN-Bs

As taxas dos títulos do Tesouro Direto não seguem uma única tendência nesta quinta-feira (23) na comparação às oferecidas na quarta-feira (22).

TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 22/07/2020Taxa (% a.a.) 23/07/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,20 4,13%4,18%+0,05
Prefixado 2026R$ 36,11 6,06%6,17%+0,11
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 37,086,65%6,80%+0,15
Selic 2025R$ 106,540,03%0,03% 0,00
IPCA + 2026R$ 57,882,25%2,21%-0,04
IPCA +2035R$ 39,203,60%3,60%0,00
IPCA + 2045R$ 41,323,60%3,60%0,00
IPCA + juros semestrais 2030R$ 42,652,91%2,89%-0,02
IPCA + juros semestrais 2040R$ 44,643,66%3,66%0,00
IPCA + juros semestrais 2055R$ 46,723,84%3,86%+0,02

Cenário Interno

expectativa de inflação dos consumidores brasileiros, medida pela Fundação Getulio Vargas, ficou em 4,5% em julho, a menor em 15 anos da série histórica.

Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), também da FGV, recuou de 0,56% para 0,53% na terceira prévia de julho. O item passagem aérea puxou a queda.

Ontem, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou em live que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve ter queda inferior aos 6,4% projetados para 2020. E que tem início no país uma retomada em V. Mesmo que seja um V incompleto.