Tesouro Direto: taxas registram alta nesta quinta-feira

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Reprodução/Tesouro Direto

As taxas dos títulos do Tesouro Direto registram alta nesta quinta-feira (17) na comparação às oferecidas no fechamento da quarta-feira (16). Todos os títulos tiveram correções para cima.

  • Confira as variações do Tesouro hoje:
TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 16/09/2020Taxa (% a.a.) 17/09/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,264,38%4,40%+0,02
Prefixado 2026R$ 35,156,86%6,90%+0,04
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 35,857,44%7,48%+0,04
Selic 2025R$ 106,650,07%0,07%+0,00
IPCA + 2026RR$ 57,192,53%2,56%+0,03
IPCA +2035R$ 37,973,88%3,90%+0,02
IPCA + 2045R$ 38,893,88%3,90%+0,02
IPCA + juros semestrais 2030R$ 41,143,15%3,18%+0,03
IPCA + juros semestrais 2040R$ 42,933,86%3,88%+0,02
IPCA + juros semestrais 2055R$ 45,134,11%4,13%+0,02

Cenário

Os mercados devem digerir hoje a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de manter a taxa básica de juros (Selic) em 2%, apesar de não trazer surpresas. O comunicado do BC reforçou as preocupações com risco fiscal e controle da inflação e voltou a afirmar que mudanças na Selic, se houverem, serão residuais e graduais.

Nos Estados Unidos também teve decisão de política monetária na mesma linha. O Federal Reserve manteve as taxas de juros entre zero e 0,25%, o que deve durar até pelo menos 2023.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

A bolsa de valores abriu em queda, com perda de 1,02%, aos 98.655 pontos.

Por aqui, o que pode influenciar os mercados é a divulgação, nos EUA, dos novos pedidos por seguro-desemprego, que devem se manter pela terceira semana seguida abaixo de 1 milhão.