Tesouro Direto: taxas dos títulos recuam nesta segunda

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

As taxas dos títulos do Tesouro Direto registram queda nesta segunda-feira (14) na comparação às oferecidas sexta-feira (11).

A maioria dos títulos tiveram correções para baixo.

  • Confira as variações do Tesouro hoje:
TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 11/09/2020Taxa (% a.a.) 14/09/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,39 4,21%4,21%0,00
Prefixado 2026R$ 35,556,69%6,66%-0,03
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 36,337,31%7,26%-0,05
Selic 2025R$ 106,780,03%0,03% 0,00
IPCA + 2026R$ 57,522,49%2,45%-0,04
IPCA +2035R$ 38,643,79%3,77%-0,02
IPCA + 2045R$ 40,073,79%3,77%-0,02
IPCA + juros semestrais 2030R$ 41,463,09%3,07%-0,02
IPCA + juros semestrais 2040R$ 43,543,78%3,76%-0,02
IPCA + juros semestrais 2055R$ 46,014,02%4,01%-0,01

Cenário

Ibovespa futuro abriu a segunda-feira (14) em alta de 1,08%, aos 99.225 pontos, acompanhando os mercados futuros de Nova York.

EQI, BTG Pactual Forpus Capital lançam novo fundo de ações

Na sexta (11), a bolsa de valores brasileira fechou a semana com queda de 2,84%, a segunda seguida em terreno negativo.

Destaque no Brasil para o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que subiu 2,15% em julho, ante 4,89% de junho. O resultado veio pior do que a projeção, que era de avanço de 3,4%.  O IBC-Br é considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB).

Ainda em indicadores, o Boletim Focus apontou  uma leve melhora para o Produto Interno Bruto (PIB) e também avanço da inflação.  A estimativa para o PIB foi de queda de 5,31% para queda de 5,11%. Já a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 1,78% para 1,94%. Já é o quinto aumento consecutivo.

Confira os destaques das empresas no Radar corporativo.

Exterior

Os mercados futuros de Nova York estão em alta, repercutindo a retomada da fase 3 de testes da vacina contra o coronavírus da AstraZeneca/Universidade de Oxford, depois de uma pausa por questões de segurança.

Possíveis efeitos adversos foram notados em um paciente do Reino Unido, mas ficou comprovado que não tinham relação com a vacina.

Nos EUA, também repercute a compra da empresa britânica Arm Holdings pela norte-americana de chips Nvidia. Quem vende é o SoftBank, do Japão, que deve ficar com parte dos pagamentos em dinheiro e parte em ações da Nvidia. Operação vai criar gigante dos semicondutores, mas ainda precisa de aprovação regulatória.