Tesouro Direto: taxas dos títulos recuam nesta segunda-feira

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Freepik/Divulgação

As taxas dos títulos do Tesouro Direto registraram queda nesta segunda-feira (13) na comparação às oferecidas na sexta-feira (10).

Todos os títulos do Tesouro apresentaram correções para baixo, com destaque para variação do Tesouro IPCA+ 2026.

TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 10/07/2020Taxa (% a.a.) 13/07/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,18 4,21%4,15%-0,06
Prefixado 2026R$ 36,20 6,13%6,08%-0,05
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 37,476,62%6,61%-0,01
Selic 2025R$ 106,450,03%0,03% 0,00
IPCA + 2026R$ 57,392,41%2,31%-0,10
IPCA +2035R$ 38,203,84%3,76%-0,08
IPCA + 2045R$ 39,663,84%3,76%-0,08
IPCA + juros semestrais 2030R$ 42,412,99%2,93%-0,06
IPCA + juros semestrais 2040R$ 43,963,80%3,76%-0,04
IPCA + juros semestrais 2055R$ 46,183,93%3,91%-0,02

Cenário Interno

Ibovespa futuro inicia a semana já acima dos 100 mil pontos: com alta de 0,86%, aos 100.810, e em linha com os mercados do exterior.

Enquanto isso, o dólar mantém a trajetória de baixa das últimas sessões e abre em ligeira queda nesta segunda-feira (13). A divisa americana registra perda de 0,11%, cotado a R$ 5,3181.

Otimismo dos investidores se mostra superior a preocupação com o avanço do coronavírus em alguns países.

O destaque do dia é o Boletim Focus que manteve a projeção para taxa Selic de 2020 em 2%, e de 2021 mantida em 3%.

Já a taxa de câmbio é mantida em R$5,20 para 2020, e recua de R$5,05 para R$5,00 em 2021.

A queda do PIB em 2020 diminui de -6,50% para -6,10%, e em 2021 é mantido o crescimento em 3,50%.

Enquanto a expectativa para o IPCA é elevada de 1,63% para 1,72% em 2020, e mantida em 3% para 2021.