Tesouro Direto: taxas dos títulos avançam nesta quinta

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Freepik/Divulgação

As taxas dos títulos do Tesouro Direto registram alta nesta quinta-feira (10) na comparação às oferecidas quarta-feira (9).

Todos os títulos tiveram correções para cima.

TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 09/09/2020Taxa (% a.a.) 10/09/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,41 4,13%4,17%+0,04
Prefixado 2026R$ 35,766,50%6,53%+0,03
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 36,697,08%7,10%+0,02
Selic 2025R$ 106,820,03%0,03% 0,00
IPCA + 2026R$ 57,592,39%2,42%+0,03
IPCA +2035R$ 38,833,70%3,73%+0,03
IPCA + 2045R$ 40,433,70%3,73%+0,03
IPCA + juros semestrais 2030R$ 41,632,98%3,01%+0,03
IPCA + juros semestrais 2040R$ 43,683,71%3,73%+0,02
IPCA + juros semestrais 2055R$ 46,063,98%4,00%+0,02

Cenário

Ibovespa futuro começou a quinta-feira (10) em baixa de 0,08%, aos 101.295 pontos. Ontem, o dia foi de alta depois de quedas sequenciais acompanhando Nova York. O Ibovespa fechou com ganhos de 1,24%, chegando a 101.292,05 pontos.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), da FGV, que ajusta os aluguéis, avançou com força na primeira prévia de setembro, chegando a 4,41%. Em agosto, o índice ficou em 2,74%, já com avanço em relação ao apurado em julho (2,23%). Comparativamente à primeira prévia de agosto, houve avanço também: na época, o indicador marcava 1,46%. Com este resultado, a taxa em 12 meses pulou de 11,61% para 18,01%.

Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Fipe), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,91% na primeira quadrissemana de setembro. Em agosto, o indicador teve alta de 0,78%.

O dólar abriu em alta de 0,10%, cotado a R$ 5,2982. Ontem (9), o dólar encerrou em queda de 1,25%, cotado a R$ 5,2982.