Tesouro Direto: taxas dos títulos sobem nesta terça

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Tesouro Direto tem taxas maiores nesta quarta

As taxas dos títulos do Tesouro Direto registram alta nesta terça-feira (8) na comparação às oferecidas sexta-feira (4).

Todos os títulos tiveram correções para cima. As maiores altas foram observados nos Tesouros IPCA+ sem pagamento de juros semestrais.

TesouroInvestimento MínimoTaxa (% a.a.) 04/09/2020Taxa (% a.a.) 08/09/2020Variação (p.p.)
Prefixado 2023R$ 36,46 4,05%4,09%+0,04
Prefixado 2026R$ 35,866,41%6,46%+0,05
Prefixado 2031 juros semestraisR$ 36,767,01%7,06%+0,05
Selic 2025R$ 106,800,03%0,03% 0,00
IPCA + 2026R$ 57,662,34%2,39%+0,05
IPCA +2035R$ 38,703,65%3,75%+0,10
IPCA + 2045R$ 40,213,65%3,75%+0,10
IPCA + juros semestrais 2030R$ 41,632,94%3,00%+0,06
IPCA + juros semestrais 2040R$ 43,543,68%3,75%+0,07
IPCA + juros semestrais 2055R$ 45,793,96%4,03%+0,07

Cenário

O dólar abriu em alta de 0,87% nesta terça-feira (8), cotada a R$ 5,3530. Na sexta-feira (4), o dólar encerrou em alta de 0,21, cotado a R$ 5,3071.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Segundo o Boletim Focus, a retração do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 será maior do que a projetada na semana passada. A expectativa saiu -5,28% para 5,31% em 2020. Para o próximo, a expectativa é de crescimento de 3,5%.

Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a estimativa subiu de 1,77% para 1,78% em 2020. Enquanto para 2021 continuou em 3%.

Em relação à Selic, a expectativa permaneceu em 2% ao ano para 2020 e 2,88% ao ano para 2021.

O dólar deve encerra 2020 cotado a R$ 5,25, mesmo número da semana passada. Para 2021 as previsões continuam em R$ 5,00.

No cenário político, os investidores seguem atentos para as discussões em torno do Orçamento de 2021 e da reforma administrativa.

Exterior

A zona do euro reportou uma queda do Produto Interno Bruto (PIB) de 14,7% no segundo trimestre. O resultado veio pouco melhor do que a prévia que indicava recuo de 15%.

O Japão reportou queda de 28,1%.

Ainda sem resolução quanto ao acordo de livre comércio pós-Brexit, o Reino Unido ameaça largar as negociações com a União Europeia esta semana.