Tesouro Direto 2018: Quais são as melhores apostas?

Hoje, aqui no escritório, recebemos a presença de Cassiano Ciampone, CEO da gestora de recursos Az Quest. Do tipo gente boa, sem rebuscar seu discurso com aquele financês desagradável que é típico da Faria Lima, o executivo do grupo nos deu uma palhinha sobre a visão da casa quanto ao cenário brasileiro para os próximos anos.

Denys Wiese
Denys Wiese, bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Estadual de Santa Catarina (ESAG-UDESC) iniciou suas atividades profissionais no mercado financeiro em 2009 como operador de bolsa de valores. Já atuou como operador, assessor, professor e escritor, sempre em atividades ligadas às finanças. Entre 2014 e 2017, atuou também com consultoria tributária. Hoje é sócio fundador do site EuQueroInvestir, assessor de Investimentos da XP Investimentos (pelo AAI Indice Investimentos). Atua no segmento de alta renda, no aconselhamento e assessoramento em investimentos no mercado financeiro. Contato: denys.wiese@euqueroinvestir.com
img-capa

Foto: img-capa

OTIMISMO é a palavra que resume seu discurso. Para Cassiano, o Brasil está no caminho correto e existem alguns pontos que ele nos colocou, que merecem ser compartilhados.

[tie_list type=”checklist”]

  • Para a Az Quest os juros baixos vieram para ficar. Não que eles não possam subir um pouco nos próximos anos (tipo, para 7, 8% aa) que significaria um ajuste fino da política monetária. Mas sim, que os juros significativamente abaixo da média brasileira serão realidade por um bom tempo.
  • Um dos motivos que justifica os juros baixos é a inflação baixa. Para a Az Quest, a inflação deverá permanecer abaixo ou dentro da meta por um bom tempo. Não há gatilhos visíveis para que a inflação suba: a) preços administrados já foram ajustados; b) com as safras recordes os preços de alimentos ficam controlados; c) há uma enorme capacidade ociosa na economia, onde as indústrias, sem novos investimentos relevantes, conseguirão aumentar a oferta de bens.
  • As empresas realizaram seus “ajustes fiscais”, e qualquer incremento, seja pela alavancagem operacional, seja pela redução do custo de financiamento (queda dos juros), incorrerá em aumentos significativos dos lucros corporativos. Não será difícil ver empresas duplicando, triplicando, ou até quadruplicando seus lucros (que estão exprimidos hoje).
  • No cenário base da Az Quest, a bolsa deverá ir para 100, 110 mil pontos, quem sabe, já no final desse ano.
  • Se o candidato que vencer a eleição presidencial for reformista (de acordo com o que o mercado quer) a bolsa poderá passar dos 110 mil pontos.
  • Cassiano nos deu dados históricos, mostrando alguns eventos que desencadearam altas significativas da bolsa. E citou o ano de 2002, quando os juros estavam estratosféricos e que, com a eleição de Lula e a famosa “Carta aos brasileiros”, os mercados foram acalmados, e tivemos vários anos de alta. Ou seja, a bolsa não está cara. Tem mais chão pela frente.
  • No campo da política econômica, a agenda de reformas deverá continuar, pelo simples fato de ser um caso de vida ou morte. Ou o Brasil faz a reforma da previdência, ou quebrará em poucos anos. E, nesse ponto, Cassiano citou o ex sócio da gestora, o conceituado economista Luiz Carlos Mendonça de Barros: o político brasileiro vai até a ponta do precipício; mas não pula. Uma analogia interessante, dizendo nas entrelinhas que o político vai até o limite, mas sabe que a sobrevivência dele, como político, e do país, dependem dessa ação de última hora.
  • No campo da política, é esperado um presidente reformista de centro. Cassiano citou o fato de que a eleição presidencial depende de capilaridade, orçamento e tempo de TV. E, os partidos de centro são aqueles que possuem tais ativos, e que irão usar em um momento adequado. Na verdade, para a Az Quest, pouco importa o nome do próximo presidente. O que importa é o alinhamento à agenda de reformas. E, segundo Cassiano, mesmo um candidato de esquerda, deverá tocar as agendas, por, novamente, ser caso de “vida ou morte”.

[/tie_list]

Esses e outros pontos foram comentados pelo Cassiano, em uma conversa de mais ou menos uma hora, entre ele e vários assessores de investimento da equipe EQI.

Logicamente, seria irresponsável eu terminar o texto por aqui, dizendo só coisas “otimistas”. A Az Quest, nas palavras de Cassiano, preza pela diversificação adequada dos portfólios de investimento, de modo que, se o cenário base não se concretizar, apesar de todas as evidências, o investidor não “caia do cavalo”.

[banner id=”teste-perfil”]

Em seguida, depois da conversa, já no elevador, conversei um pouco com Cassiano sobre as tendências para o Tesouro Direto, já que esse é o tema central da minha newsletter semanal.

Novamente, OTIMISMO.

Perguntei a ele: há espaço para a queda dos juros nominais e, por conseguinte, espaço para apostas nos juros nominais? (tesouro prefixado).

Ele afirmou que sim, há espaço. Mesmo com uma possível alta da Selic nos próximos anos, a ponta longa (juros dos tesouros 2027, por exemplo) estão apontando para cima, numa clara distorção.

Com o cenário acima sendo concretizado, inflação baixa e crescimento, os juros nominais futuros tendem a convergir para algo mais próximo dos juros à vista. A Az Quest está tomando juros de 2020 (“pegando emprestado pelos juros de 2020”) e comprando a LTN 2027.

E emendei: e nos juros reais, há espaço?

Sim, com maior ênfase.

Os juros reais estão altos, segundo Cassiano. O mercado ainda não precificou a reforma da previdência e, quando isso ocorrer, os juros reais irão para o chão. A Az quest está tomando juros de 2021 (“pegando emprestado a juros de 2021”) e comprando a NTNB 2050.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

[banner nome=”facebook”]

Observe que, no exemplo acima, a casa esta de certa forma apostando na alta dos juros 2021, e na queda dos juros 2050. Isso mostra o otimismo com o futuro.

Mas, se alguma crise financeira vir, de modo a jogar os juros futuros lá pra cima, essa posição de 2021 tenderá a se beneficiar, protegendo essa posição. Novamente, Cassiano reiterou a necessidade de diversificação.

E, por fim, perguntei: para o investidor pessoa física, quais as melhores opções no Tesouro Direto hoje, num prazo de 2 a 3 anos? Ele finalizou: NTNB longa (2035, 2045, 2050, 2055) e prefixado longo (2027).

Bate-papo muito bom, que resolvi compartilhar com vocês, caros leitores.

E, quero aprofundar o raciocínio acima, na palestra dessa próxima quarta feita.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato comigo através desse formulário!