Tesouro com juros semestrais: vale a pena investir? Saiba aqui!

Ronaldo Araújo
Engenheiro e Agente Autônomo de Investimentos, hoje me dedico a divulgar ensinamentos sobre como funciona a Previdência Privada. Acredito que com mais conhecimento é possível fazer melhores escolhas para a formação do patrimônio de longo prazo. Para saber mais acesse www.ronaldoaraujo.com.br
1

Crédito: Reprodução/iStock Photos

O Tesouro com juros semestrais é uma alternativa de investimentos interessante para quem deseja desfrutar de renda. Existe um fluxo financeiro semestral e isso pode servir como complementação de renda, ou cobrindo-a toda. Para decidir firmemente pelo investimento, o mais recomendável é conhecer mais a fundo todas as suas características.

Este artigo aborda melhor essa questão. Ao ler o texto, você saberá o que é o Tesouro Direto. Conhecerá as particularidades do papel com pagamento de juros semestrais. Além disso, entenderá quais são suas vantagens e os pontos que merecem um pouco mais de atenção.

Aproveite o conteúdo e tenha uma boa leitura!

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é a plataforma de negociação de títulos do Governo Federal.

Inaugurada em 2002, ela permite que investidores adquiram papéis de dívida do Governo a partir de baixos valores, tornando a aplicação extremamente acessível.

Basicamente, existem três modalidades de títulos nessa plataforma: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA.

Cada um deles conta com várias datas de vencimento e somente os dois últimos podem oferecer a modalidade de pagamento de juros semestrais.

Uma das grandes vantagens dessa aplicação é a segurança. Ainda que nenhum investimento esteja livre de risco, ele é muito baixo no caso dos títulos do Governo.

Em última instância, é possível imprimir dinheiro para fazer o pagamento, ainda que isso traga consequências ruins para a economia do país.

O que é o Tesouro com juros semestrais?

O Tesouro com juros semestrais consiste em determinados papéis que pagam juros a cada 6 meses. O investidor que aloca seu patrimônio nesses títulos não precisa esperar até o fim do prazo para receber seus juros. Eles fluem para sua carteira semestralmente.

Entre os 3 tipos de papéis constantes no Tesouro Direto, dois deles podem ter a característica de fazer o pagamento de juros semestrais: o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA.

Em sua nomenclatura deve constar a expressão “com juros semestrais”, indicando a modalidade.

Esses títulos prevêem o pagamento dos juros acumulados a cada 6 meses e isso ocorre de acordo com a taxa contratada.

Normalmente, o valor total acumulado no período é pago apenas após decorrido todo o prazo. No entanto, a modalidade semestral permite ao investidor receber parte do lucro do investimento periodicamente.

Isso é conveniente para quem deseja complementar renda, por exemplo, pois o capital fica investido ao mesmo tempo que rende frutos semestralmente.

Quais são as vantagens desse tipo de aplicação?

Conforme já mencionado, o pagamento de juros semestrais permite que se tenha uma renda prevista a ser paga a cada 6 meses.

Assim, para quem tem um planejamento financeiro que preveja o usufruto de seu capital para pagar despesas, por exemplo, pode usar esses títulos para colocar seu plano em prática.

Dessa forma, existem duas maneiras de fazer essa utilização.

A primeira delas é calculando o valor necessário por 6 meses e investindo o capital. Assim, os juros recebidos devem cobrir os gastos de um semestre, sejam eles quais forem.

O bom dessa modalidade é que após recebidos os juros, pode-se aplicar em outra modalidade de investimento que preveja a liquidez diária, como o Tesouro Selic.

Assim, ao mesmo tempo que as despesas são bancadas, também se consegue mais juros dentro dos próprios 6 meses de gastos, aumentando o rendimento.

Outra forma de utilizar esses títulos para auferir renda é compor uma carteira de papéis que faça o pagamento em um conjunto de semestres diferenciados.

Por exemplo, um título que pague em janeiro e julho. Outro com pagamento em abril e outubro, e assim por diante.

Com isso, é possível ter renda em intervalos de tempo menores que 6 meses e manter um fluxo mais constante.

Existem desvantagens no pagamento de juros semestrais?

Veja a seguir dois pontos de desvantagem desse tipo de título.

Juros simples

Não são todas as pessoas que conseguem visualizar o efeito dos juros simples nessa modalidade de investimento, mas ela existe, está lá e impactará os investimentos.

Quando uma carteira recebe os juros semestrais que foram acumulados no período, o rendimento futuro que haveria sobre esses mesmos juros deixa de existir. É o que se chama de juros compostos.

Eles são o principal exponenciador de uma carteira de investimentos. Ao receber os juros em semestres, o cálculo passa a ser de juros simples, como no recebimento de aluguéis.

Isso tira um grande potencial de valorização do investimento e deve ser considerado no planejamento financeiro.

Essa é a principal razão pela qual se recomenda esse tipo de aplicação apenas para quem já atingiu seus objetivos financeiros e só desfruta do capital acumulado.

Tributação

Outro grande ponto de desvantagem nessa modalidade de investimento é a incidência dos impostos. A razão disso é que as faixas de tributação obedecem a tabela regressiva que são aplicadas aos investimentos de renda fixa.

Os impostos começam com uma alíquota de 22,5% e são aplicados a prazos de até 6 meses. Entre 6 meses e um ano, paga-se 20%. De um a 2 anos, 17,5% e, por fim, 15% para prazos acima de dois anos.

Isso quer dizer que as maiores cargas tributárias irão incidir nos primeiros pagamentos semestrais. A vantagem de pagar a alíquota mínima é dispensada nesses casos, pois o recebimento já se dá ao final dos primeiros 6 meses de aplicação.

Isso traz um forte impacto para o investimento. Perceba que além de não contar com os juros compostos (juros sobre juros), ainda há um desconto no rendimento.

Quando isso tudo é colocado “na ponta do lápis”, percebe-se que o retorno final é bastante impactado.

É por isso que para quem ainda está na fase de acumulação de patrimônio pode ser mais interessante optar por títulos cujos juros sejam pagos apenas quando findar o prazo da aplicação. Ou seja, apenas no vencimento do papel.

Investir no Tesouro com juros semestrais pode ser uma ótima opção, a depender dos objetivos do investidor. Normalmente, eles são indicados para quem já tem patrimônio formado e está em fase de usufruto de renda. Ainda assim, pode ser que alguma outra estratégia preveja o investimento nesse papel, pois existe a vantagem de ser um título muito seguro já que é emitido pelo Governo Federal.

Quer conhecer mais investimentos? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!