Tenda (TEND3) lucra R$ 17,6 mi, queda de 64,6% no 1TRI; Ebitda, R$ 42 mi (-39,9%)

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Tenda

A Tenda (TEND3) divulgou nesta quinta-feira (14) seus resultados do primeiro trimestre de 2020. O lucro líquido foi de R$ 17,6 milhões, uma redução de 64,6% na comparação com mesmo período de 2019.

De acordo com a companhia, o desempenho foi impactado pelo aumento dos distratos devido a impasse na alocação de recursos ao MCMV, elevação da PCLD em função da reavaliação da inadimplência esperada dos recebíveis em função da Covid-19, aumento das despesas com vendas relacionado às comissões (atreladas à validação dos repasses) e ao marketing (investimentos na viabilização da estrutura online), e o resultado financeiro negativo.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês)ajustado somou R$ 42 milhões, uma queda de 39,9%.

A margem Ebtida ajustado ficou em 10,1%, baixa de 7 pontos percentuais.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 3 milhões, revertendo o resultado positivo de R$ 300 mil no mesmo período de 2019.

De acordo com a Tenda, o resultado foi influenciado pela menor posição de caixa líquido e redução da Selic que  fizeram com que a rentabilidade das aplicações fosse insuficiente para fazer frente ao custo de dívida.

As despesas somaram R$ 48,1 milhões, um aumento de 46,7%.

Fonte: Tenda

Receita avança 1,6%

A receita líquida atingiu a cifra de R$ 415,8 milhões no primeiro trimestre de 2020, uma elevação de 1,6%.

O lucro bruto ajustado somou R$ 132,1 milhões, uma diminuição de 9,7%.

Já a margem bruta ajustada ficou em 31,8% no período, uma retração de 4 pontos percentuais.

A Tenda explica que o resultado impactado negativamente pelas provisões para perdas estimadas em créditos de liquidação duvidosa PCLD e para distratos.

Fonte: Tenda

 

Dados operacionais

No primeiro trimestre de 2020, a Tenda lançou 4 empreendimentos, totalizando R$ 165,6 milhões em VGV (Valor Geral de Vendas), redução de 57,1% em relação ao primeiro trimestre de 2019.

As vendas líquidas somaram R$ 439,7 milhões, um aumento de 8%.

O número de unidades entregue totalizou 1.856 no período, uma elevação de 20,8%.

O VSO (vendas sobre oferta líquida) atingiu 25,5%, baixa de 2 pontos percentuais.

Fonte: Tenda

Dívida

A dívida líquida da Tenda encerrou março em R$ 131,8 milhões.

A alavancagem financeira medida pela relação dívida líquida / patrimônio líquido, ficou em 9,6% no final de março, uma redução de 15,3 p.p.