Tenda (TEND3) emite CCB e Tecnisa (TCSA3) aprova grupamento

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Wikimedia

A Tenda (TEND3) aprovou emissão de Cédula de Crédito Bancário de R$ 100 milhões junto ao Itaú Unibanco (ITUB4).

O empréstimo terá vencimento em 12 meses contados da sua assinatura do contrato.

A taxa de juros pactuada foi de CDI, acrescida de sobretaxa de 3,9% ao ano.

Recursos serão destinados para gestão, reforço do capital e incremento de estrutura patrimonial.

Tecnisa (TCSA3) aprova grupamento de ações

A Tecnisa (TCSA3) aprovou o agrupamento da totalidade das ações ordinárias de sua emissão.

A proporção para agrupamento ações é de 10 para 1, sem a modificação do valor do capital social.

Serão grupadas 736 milhões de ações ordinárias da Tecnisa.

O capital social permanecerá no valor de R$ 1,868 bilhão e passará a ser dividido em 73,6 milhões.

Entre o dia 6 de maio de 2020 e 4 de junho de 2020, os acionistas poderão realizar ajustes em suas posições acionárias em lotes múltiplos de 10 (dez) ações ordinárias de emissão da Companhia a fim de preservar a titularidade de um número inteiro de ações após o grupamento.

A operação será efetivada a partir de 5 de junho de 2020.

Os  American Depositary Receipts (ADRs) também serão grupados na mesma proporção.

CTEEP (TRPL4): acordo com Prefeitura de São José dos Campos

A CTEEP informou que negociou 395 mil m² de faixas de domínio, no valor de R$ 73,5 milhões, com a Prefeitura de São José dos Campos para o desenvolvimento de um projeto de mobilidade urbana no município.

A companhia recebeu R$ 7,1 milhões na assinatura da escritura e a diferença (R$66,4 milhões) em créditos para compensação do IPTU dos imóveis remanescentes na cidade, para os exercícios de 2019 a 2023.

Segundo a CTEEP, a conclusão da transação está sujeita à aprovação da Agência Nacional de Energia Elétrica –ANEEL e marca o primeiro negócio de Real Estate da ISA CTEEP.

A companhia explica que o objetivo é maximizar a geração de valor a partir da utilização mais eficiente do acervo imobiliário da empresa, mantendo a excelência na prestação do serviço público de transmissão de energia.