‘Temos todos os elementos para uma recuperação em V’, diz gestor da Trafalgar

Osni Alves
Jornalista | osni.alves@euqueroinvestir.com
1

Crédito: ‘temos todos os elementos para uma recuperação em v’, diz gestor da trafalgar

Sócio fundador da Trafalgar Investimentos, o executivo Ettore Marchetti diz acreditar que os países têm todos os elementos para uma recuperação em V no pós-crise.

“Olhando para a resposta monetária dos países, ela foi maior do que 2008. O pacote americano, por exemplo, foi 10% do PIB. A Itália anunciou 19% e a Espanha 16%. São números exorbitantes”, frisou.

A crise financeira de 2007–2008 é uma conjuntura econômica global que se sentiu durante crise financeira internacional precipitada pela falência do tradicional banco de investimento estadunidense Lehman Brothers, fundado em 1850.

Para Ettore, “o Brasil está fazendo um pacote de um quarto do PIB. Isso posto, estamos convencidos de que será, sim, uma recuperação em V, apesar de os números deste ano estarem comprometidos”, ressaltou.

Ambos sócios fundadores da Trafalgar, Ettore e Roberto Chagas participaram de uma live da EQI Investimentos, no YouTube, intermediada pelo economista e assessor de investimentos Luís Fernando Moran na tarde desta quarta-feira (25).

O Brasil e a curva de juros

De acordo com os executivos, os juros baixos favorecem setores de consumo e ativa o Real. “Pela primeira vez na história, o Brasil pôde abaixar o juros em meio a um processo altamente agudo de desalavancagem”, disseram.

Isso porque há seis dias o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central cortou a taxa básica de juros (Selic) de 4,25% para 3,75% ao ano.

Foi o segundo corte na taxa neste ano e o maior até agora, em 0,50 pontos porcentuais. “A novidade do processo é o Brasil baixar os juros em meio à crise.”

Na crise, crie

Para Chagas, a crise pelo qual o mundo está passando é dura, mas ao mesmo tempo um momento de oportunidades. “Ela cria várias possibilidades de preços [de ativos] e oportunidades de alocação [investimento]”, disse.

E acrescentou: “as últimas quedas tiveram um componente importante, que foi a queda do VIX. Inclusive, ele tem que estar mais baixo para ter mercado mais competitivo”, frisou.

Ele explicou que os mercados só fazem fundo quando o VIX começa a cair. “Nessa crise a gente começou com 60% em disposição em ações e aumentou ao longo do período para 85%.”

E disse mais: “nossa carteira tem de tudo, inclusive muita tese de tecnologia, incluindo uma empresa argentina que faz 95% de sua receita nos EUA. Com essa crise, abriu uma oportunidade gigante. É uma empresa de digitalização negociada na Nasdaq”, exemplificou.

trafalgar

O digital, a nova fronteira

De acordo com Chagas, uma empresa com presença exclusivamente em shopping, mas fora do e-commerce está perdendo oportunidades.

“Escolas agora operando quase 100% no online, a escala disso torna o investimento muito barato. A gente acha que essas teses vão continuar crescendo”, disse, em referências às empresas com participação de mercado no ambiente digital.

Ele exemplificou usando companhias que começaram prestando serviços de carona, comida, e entregas diversas, mas que migraram para meios de pagamento. Para o gestor, as possibilidades são muitas.

E o crédito?

De acordo com Ettore, a primeira melhora da Bolsa, recentemente, não foi acompanhada pela melhora de crédito, mas depois do pacote americano, o crédito foi muito bem.

“O sinal do FED [banco central dos EUA] é muito construtivo para todo o mercado”, disse, em referência aos dois trilhões de dólares que o banco central dos EUA pretende injetar na economia norte-americana para conter os impactos do coronavírus.

Imposto de Renda

Vantagem competitiva

Para Chagas, o investidor deve cuidar com o excesso de barulho no mercado, principalmente nestes dias turbulentos.

“Nossa tese de investimento do fundo é achar empresas que tenham vantagem competitiva ou que esteja perdendo essa vantagem competitiva: uma para comprar e a outra para vender.”

Para isso, disse, a Trafalgar analisa desde o fornecedor, passando pelo consumidor, observando a logística e ainda fala com competidores.

“Também observamos o que está acontecendo, ou o que aconteceu lá fora. Entendemos que muito do que ocorre na América do Norte vai se repetir na América do Sul, ainda que não na mesma proporção ou com efeitos tão iguais.”

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Outro dado que não pode ficar de fora, segundo Chagas, é o TIR. A Taxa Interna de Retorno se compara à NTNB, um título público que paga o IPCA mais 5.